Instrutor de cães da Polícia Federal do Rio morre vítima da Covid-19

Policial José Antônio Alves Nogueira, de 60 anos, sendo 34 na instituição, morreu por complicações com a doença. Segundo o sindicato da categoria, cinco policiais morreram no estado contaminados pela doença.

189

RIO DE JANEIRO – O agente da Polícia Federal no Rio de Janeiro José Antônio Alves Nogueira, de 60 anos, morreu de Covid-19 na manhã desta quarta-feira (14).

Bebeto, como era conhecido, estava internado havia três semanas no Hospital São Francisco da Providência de Deus, na Tijuca, na Zona Norte do Rio. Ele estava na instituição fazia 34 anos, quase 30 deles na Delegacia de Repressão à Entorpecentes (DRE). Um dos responsáveis pelo canil da PF no RJ, o agente era instrutor de cães para ações de busca de drogas.

De acordo com o Sindicato da PF no RJ, Bebeto foi a quinta vítima da Covid no RJ. Ao todo, ainda segundo o sindicato, 153 policiais ficaram doentes no estado.

Nos primeiros dias de março, Bebeto começou a se sentir mal. Com comorbidades (era hipertenso), ele chegou a ser intubado. O agente tinha apenas um rim – um deles havia sido doado à ex-mulher.

Homenagem
Nesta quinta-feira (15), policiais federais percorreram o caminho, em um comboio com 20 carros da PF, entre o hospital em que o agente ficou internado, na Zona Norte, e o cemitério, na Zona Portuária.

Após a cremação, a família de Bebeto recebeu homenagens do atual superintendente da PF no RJ, o delegado Tácio Muzzi, e do antecessor, o delegado Carlos Henrique Oliveira Sousa.