Trader alerta: alta do Bitcoin ainda está longe do fim

123

Apesar da recente correção do Bitcoin, o proeminente trader Lark Davis disse que o topo do BTC nesta alta ainda está longe.

Em vídeo publicado no seu canal do YouTube na quarta-feira (20), o analista traça um cenário usando quatro indicadores de mercado.

Através das análises, Davis aposta que o Bitcoin ainda se manterá “aquecido” pelos próximos seis meses, e sugere que sua cotação possa alcançar os US$ 250 mil.

Média móvel mensal

O primeiro indicador apresentado por Davis é o “Bitcoin Heat Map”. O “mapa de calor” utiliza uma cartela de cores para apresentar a porcentagem de aumento da média móvel no mês.

Para o trader, pontos vermelhos no gráfico são um sinal negativo. Isso porque o vermelho representa um mercado superaquecido.

No entanto, o índice atual não apresenta nenhuma margem vermelha ou laranja. “[Estamos] potencialmente ainda de quatro a seis meses de um verdadeiro topo de explosão para mercados de criptomoedas”, disse Davis.

O especialista também lembra que o Bitcoin lidera o mercado. Ou seja, conforme o BTC avança, o restante do mercado seguirá as valorizações.

Contudo, ao se tornar superaquecido, o restante do mercado de criptomoedas também estará desta forma.

Relação do preço do Bitcoin com mineradores

Davis também estuda o valor de mercado da criptomoeda sob a ótica do Puell Multiple. O indicador analisa a relação do preço do Bitcoin com a receita dos mineradores.

Este indicador tornou-se uma importante ferramenta para análise de zonas de sobrecompra. Isto porque os mineradores vendem seus BTC para pagar pelos custos da operação.

De qualquer forma, a métrica ainda não atingiu seu ponto crítico.

“Não há nenhuma explosão de mercado acontecendo agora. […] Para comparar, é onde podemos estar no momento. Porque estamos vendo essas grandes quedas, essas grandes correções. Ainda não entramos nesta área (retângulo vermelho) que mostra um mercado de sobrecompra”, explicou.

Indicador anual

Outra métrica importante usada por Davis é a média móvel de dois anos. Este indicador tem o objetivo de analisar um cenário a longo prazo.

Há a possibilidade ainda de observar a média móvel dos últimos cinco anos.

O trader explica que, em toda alta significativa, o Bitcoin passa a ocupar a linha vermelha.

Davis também sinaliza que o comportamento do gráfico atual se assemelha com o de 2017, antes do BTC começar a impulsionar a linha vermelha para sua máxima. Ou seja, a moeda digital ainda tem um caminho a seguir.

Métrica arco-íris

Por fim, o especialista apresenta o “arco-íris do Bitcoin”. Através da métrica, é possível identificar se a criptomoeda explorou seu valor máximo ou se ainda tem potencial de crescimento.

Davis ressalta que, em 2017, o território “será que é bolha?” foi atingido no pico do movimento — marcado em US$ 20 mil.

Contudo, no atual nível de preço que fica acima de US$ 55 mil, o trader defende que este território ainda não foi adentrado.