Cabo Frio poderá ter irmãos nas Olimpíadas de Tóquio em Junho

325

Os irmãos e nadadores cabo-frienses, Alexia Assunção, de 19 anos, e Vinícius, de 20, podem representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que acontecem em julho, no Japão. Para tentar alcançar o índice olímpico, a dupla vai participar de um evento de repescagem, que acontece no dia 12 de junho, no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro.

A tentativa de classificação aconteceria na Seletiva Olímpica, que terminou neste sábado (24), porém os irmãos não puderam participar por terem contraído a Covid-19. Na intenção de competir no país asiático, Vinícius e Alexia conseguiram uma autorização da FINA (Federação Internacional de Natação) para participar de uma seletiva específica para atletas que testaram positivo para o vírus entre os meses de março e abril deste ano.

Vinícius, que vai tentar a vaga tanto nos 100m quanto nos 200m livre, demonstra confiança e convoca a torcida da cidade para torcer por ele em sua primeira tentativa de alcançar o índice olímpico.

“Fico extremamente feliz em poder participar da minha primeira Seletiva Olímpica e muito confiante em saber que tenho chances de representar o Brasil em Tóquio. Conto com a torcida de todos os cabo-frienses”, afirmou o nadador.

Os irmãos são donos de três das 31 medalhas que a Seleção Brasileira de Natação conquistou no Campeonato Sul-Americano de Esportes Aquáticos, em Buenos Aires, Argentina, realizado em março deste ano. Na ocasião, Vinícius levou o bronze nos 200m medley e a prata nos 400m medley.

No mesmo campeonato, Alexia ficou com o terceiro lugar nos 200m costas, mesma categoria em que vai tentar o índice olímpico na repescagem disputada em junho.

“Estou muito animada para a seletiva. Muito feliz e bastante confiante por ter a chance de disputar mais essa competição. Vou dar o máximo e espero atingir todos os meus objetivos”, disse Alexia.

Os irmãos representam o Fluminense Football Club e contam com o apoio da Academia Aquarium Sports, além de receberem ajuda financeira do Bolsa-Atleta, que auxilia os atletas brasileiros de alto rendimento.
Pai coruja e treinador da dupla, Alexandre Assunção está empolgado com a possibilidade de classificação dos filhos para as Olimpíadas do Japão. Mesmo que para muitos a missão seja considerada difícil, ele demonstra confiança na conquista das vagas.

“Os tempos que estão sendo batidos na Seletiva Olímpica demonstram como é difícil para um atleta se manter competitivo. É por isso que tanto o Vinícius quanto a Alexia têm grandes chances de conseguirem o índice. No nível em que eles estão, jamais podemos pensar que um resultado não pode ser alcançado”, concluiu.

Comentários