Morre babalorixá Pai Uzêda, aos 55 anos, vítima de um infarto

167

Morreu, na manhã deste domingo, 9, Roberval Batista de Uzeda, o Pai Uzêda, aos 55 anos, que estava lotado no gabinete do deputado Noel de Carvalho (PSDB) como assessor parlamentar. O religioso havia sido levado à UPA da Taquara, Zona Oeste do Rio, após se sentir mal na noite de sábado. O motivo da morte foi um infarto.

Irmã de Roberval, Ana Maria Uzêda esteve com o irmão até os seus últimos momentos. Foi ela quem o acudiu quando começou a sentir dores abdominais e calafrios. Na unidade, ele chegou a ter três paradas cardíacas.

— Ele estava com a glicose muito alta e não baixava de jeito nenhum. A pressão caiu absurdamente e ele suava muito frio. Depois da última parada cardíaca, tentaram reanimar e ele não resistiu, estava muito fraco — disse Ana Maria.

Sendo o quarto de oito filhos de uma família da comunidade da Muzema, em Itanhangá, Zona Oeste do Rio, Pai Uzeda começou na política se apresentando, em 2015, como presidente da Associação de Moradores do local, onde denunciava os problemas urbanísticos e as obras inacabadas da prefeitura na região.

— Ele respirava política. Adorava estar em gabinete de prefeitura, era um clichê de gabinete. Só queria ser útil e fazer as coisas pelas pessoas — disse a irmã, muito emocionada. — Ele também era um irmão maravilhoso, era o pai da casa. Ele só ficava feliz quando ia no mercado e enchia carrinhos de compra para a minha mãe. Ele tinha muita felicidade em fazer coisas para a família. O Roberval era amor.

Em nota, o deputado Noel de Carvalho declarou que recebeu a notícia com muita tristeza: “Como assessor, Uzêda era incansável e estava sempre trabalhando para que o mandato pudesse atender cada vez mais os cidadãos do estado do Rio. Meus sentimentos aos amigos e a toda família de Uzeda, principalmente a sua mãe que perdeu o filho nesta data tão especial em que se comemora o Dia das Mães! Nosso domingo ficou mais triste”, declarou. A esposa do ex-vice-governador Francisco Dornelles, Ana Maria Dornelles, também chegou a ligar para família.

Pai Uzeda chegou a ficar mais conhecido quando passou a circular em eventos oficiais, como a posse de Joaquim Barbosa na presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), em 2012, e por apoiar descarregos em políticos que estariam sendo ameaçados pelos seus rivais com energias malignas, como o que realizou no ex-presidente Michel Temer (MDB) após furar a segurança e acessar o palco do evento em dezembro de 2017. O religioso chegou a declarar, em 2018, ter se convertido ao cristianismo evangélico quando foi assessor da coordenadoria de Diversidade Religiosa, da Secretaria municipal de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, da prefeitura de Marcelo Crivella. Na ocasião, o pai de santo havia declarado que havia substituído as guias do candomblé pela Bíblia. Porém, em menos de 24h, desmentiu que se tornaria pastor e que havia se convertido.

Em julho do ano passado, o religioso também havia sido nomeado como assistente da Coordenadoria de Ações de Cidadania da Subsecretaria de Ações Institucionais da Casa Civil. O babalorixá também havia cravado, em janeiro, que o time do Botafogo não cairia por conta de um milagre que aconteceria. Porém, o alvinegro acabou voltando à série B.