Mulher que aparece segurando fuzil é de Duque de Caxias, a mesma afirma para policia que as armas eram de Air Soft, e que vem sofrendo ameaças após vídeo viralizar

Segundo advogado, imagens foram feitas em um churrasco com os netos, que jogam air soft

395

RIO – Depois de serem associadas à traficantes do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, Rosana Coutas do Carmos, de 48 anos, e Vera Lúcia Coutas, de 69, precisaram recorrer à Delegacia de Repressão as Crimes de Informática (DRCI). Ambas foram filmadas dançando com armas de air soft na mão, em uma reunião, com diversas pessoas em volta.

As imagens ganharam grande repercussão após a operação da Polícia Civil que resultou na morte de 29 pessoas. Nas mensagens encaminhadas junto com o vídeo, Rosana Coutas era confundida com a dona de casa Adriana Rodrigues, a mãe de um dos mortos na ação.”O vídeo é de um churrasco que a Rosana e a Vera estavam presentes com os netos, jogadores de air soft.

Estavam com simularos em uma brincadeira, em família. Esse vídeo acabou vazando e a imagem delas foi veiculada à mãe de um dos mortos na operação”, disse o advogado das duas, André Oliveira, em um vídeo.

Segundo ele, Rosana e Vera que moram em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, têm sofrido ameaças na rua por conta da disseminação da informação falsa. Adriana, a mãe do rapaz também sofreu ameaças por ter a imagem associada ao vídeo

“Estava aos prantos na Globo pedindo justiça pela morte do filho”, diz a legenda de um trecho do vídeo. Durante entrevista ao RJTV desta segunda-feira, Adriana Rodrigues negou ser a pessoa que aparece na publicação. Ela acrescentou ainda que sua família pretende processar quem compartilhar as imagens.