Polícias Civil e Militar firmam parceria para combater roubos no Centro do Rio e dar celeridade às investigações.

97

A Polícia Civil e a Polícia Militar estão unindo forças para intensificar o combate aos roubos a pedestres e em ônibus, cometidos no Centro do Rio de Janeiro. Esses crimes estão entre os principais problemas da região.

A parceria, firmada entre a 4a DP (Praça da República), a coordenação do Centro Presente e o comando do 5° BPM (Praça da Harmonia), tem o objetivo de desenvolver ações em conjunto para diminuir a incidência dos roubos, dar celeridade às investigações e indiciar, levar à Justiça e tirar das ruas, o mais rápido possível, os criminosos que atuam na localidade.

De janeiro a meados de maio deste ano, foram registrados, em média, 2 casos por dia de roubos a pedestre, em coletivo e de aparelho celular na área da 4a DP. De acordo com a polícia, esses crimes são cometidos, não só por criminosos das redondezas, como também por maiores e menores que vêm de outras regiões da cidade e até da Baixada Fluminense.

Para definir as estratégias a serem desenvolvidas, a delegada Patrícia Aguiar, que está à frente da distrital há quase três meses, se reuniu com a coordenadora do Centro Presente, capitã da PM Silvia Barbosa, e com o capitão PM Rômulo Cruz, responsável por uma das bases do programa.

A primeira iniciativa, já implementada pela delegada, foi a criação de um Núcleo de Roubos e Furtos da 4a DP, que conta com uma equipe de policiais civis especializada e dedicada exclusivamente a investigar esse tipo de crime. Os investigadores trabalham integrados diretamente com o plantão da delegacia, para terem acesso imediato às informações, vítimas e testemunhas, iniciando as investigações assim que os casos chegam.

“Esta parte do processo é fundamental porque, quanto antes os trabalhos começarem, maior é a chance de elucidação do crime. Os acontecimentos estão frescos na lembrança dos envolvidos, possibilitando colher mais detalhes nos depoimentos, além de facilitar a coleta de outras evidências que ajudem na identificação dos criminosos. Sem contar a possibilidade de ainda ser realizada uma prisão em flagrante”, explicou a delegada Patrícia Aguiar.

Além de levantar os bandidos que agem na região, o Núcleo de Roubos e Furtos também é responsável por identificar de onde eles vêm, definir e analisar o modus operandi dos criminosos e mapear os principais pontos de atuação. Segundo a delegada, a definição desse padrão é importante para a equipe ser ainda mais acertiva na definição das estratégias de combate.

“É preciso ter informações e analisá-las. É necessário coletar e trabalhar os dados para se chegar a algum lugar”, completou Patrícia Aguiar.

Nos últimos dois meses, 25 criminosos foram indiciados em investigações desenvolvidas pelo Núcleo de Roubos e Furtos da delegacia. A partir de agora, este núcleo especializado está também ligado diretamente às equipes do Centro Presente da Polícia Militar e do 5° BPM, com comunicação automática e imediata dos roubos ocorridos, aumentando assim as chances de reconhecimento por parte das vítimas, de prisões em flagrante e de identificação dos suspeitos.

Além disso, ficou alinhado o compartilhamento de informações do banco de dados de sarqueados e de mandados de prisão e a ligação do Núcleo de Roubos e Furtos da delegacia com o Núcleo de Inteligência do projeto Segurança Presente. A otimização desse processo possibilita ainda que as equipes da PM não demorem na delegacia, evitando que fiquem muito tempo fora do policiamento nas ruas.
O próximo passo é reunir outros órgãos nesses esforços. A intenção da delegada Patrícia Aguiar é conversar ainda com

representantes da Prefeitura, de empresas de ônibus e da associação de comerciantes do Centro do Rio para agilizar o acesso a imagens de câmeras de monitoramento, além de fortalecer os vínculos com o ISPGeo para análise dos índices criminais.