Vídeo: Veja o momento da prisão de Sandra Sapatão na Praia de Saquarema uma das maiores lideranças da Favela do Jacarezinho

Mulher, que já foi considerada uma das traficantes mais procuradas do estado, foi presa após trabalho de inteligência baseado na operação Exceptis, no Jacarezinho

454

Agentes da Dcod (Delegacia de Combate às Drogas) filmaram o momento da prisão de Sandra Helena Ferreira Gabriel, a Sandra Sapatão, de 54 anos. Foragida desde 2019, acusada do homicídio de um policial e da tentativa de morte de outro, ela estava com amigos na areia da praia do Boqueirão, em Saquarema, Região dos Lagos. Ela é apontada pela polícia como uma das lideranças do tráfico no Jacarezinho. 

Sandra foi encontrada a partir de um trabalho de inteligência, que contou com a apreensão de celulares na operação Exceptis, realizada no dia 6 de maio. Na ação 27 homens, apontados como integrantes do tráfico de drogas pela polícia, foram mortos. Ainda na operação, um policial, da mesma delegacia especializada que realizou a prisão da Sandra, morreu e, outro, foi baleado.

Nas imagens do momento de sua prisão, Sandra aparece ao lado de amigos, quando dois agentes, identificados com o distintivo da corporação, apontam as armas e dão voz de prisão. Ela não resiste.Aos policiais, Sandra disse que  soube do mandado de prisão, em 2019, dentro de uma igreja e que não possui ligação mais com o tráfico.

Policial baleado no Jacarezinho participou de prisão

O agente  da Dcod, que foi baleado no braço, no dia 6 de maio, participou da prisão de Sandra. “Isso ( a participação desse policial) demonstra o quanto nós somos profissionais. Há um discurso equivocado de que uma operação tem de ser encerrada quando um agente é ferido ou morto. Nós somos profissionais, não agimos com emoção, mas com técnica.

Quem defende esse discurso de que uma operação tem de cessar quando um policial é alvejado e morto em uma operação, está incentivando o assassinato de policiais em ações operacionais e não está do lado da sociedade: está do lado do crime organizado”, afirmou o delegado Felipe Curi, chefe das delegacias especializadas.

Ainda segundo Curi, a ação da Dcod, que levou à captura de Sandra, foi baseada em dados de inteligência. “Ela teve início no mesmo dia da operação no Jacarezinho, com a coleta de dados de inteligência e atividade de campo. Com isso, esses dados foram imediatamente trabalhados, seguindo o tripé ‘inteligência, investigação e ação’ da Polícia Civil. Assim, a Dcod começou a investigar  e hoje, fez a ação de captura da Sandra”.

Sandra: tráfico e mortes

Em 2007, Sandra estava na lista dos dez bandidos mais procurados do estado. Ao ser presa, em 2010, ela chegou a ser a única mulher presa em um presídio federal de segurança máxima. Em 2014, ela saiu em liberdade provisória e não retornou à prisão, sendo considerada evadida do sistema prisional.No mesmo ano, foi capturada por agentes da Unidade de Polícia Pacificadora do Jacarezinho (UPP), ocasião em que ofereceu R$ 20 mil para não ser presa. Já em 2016, saiu em liberdade, e teria voltado a gerenciar o tráfico pessoalmente.

Em 2017, ela é apontada pela polícia por participar de um tiroteio que matou o policial militar Michel de Lima Galvão, da UPP Jacarezinho, e deixar outro agente baleado no rosto. Em 2019, por conta desses crimes, ele teve a prisão preventiva decretada, ao lado de outros dois traficantes, na 2ª Vara Criminal.