Operação “Casa de Papel” da polícia civil fecha escritório do “Grupo Fênix” e prende um dos líderes da quadrilha de aplicar golpes imobiliários em mais de 100 pessoas.

Prejuízo passa de R$: 2 milhões de reais, diz policiai civil

603

RIO – Policiais Civis da 4ª DP (Praça da República) estouraram, na tarde de segunda-feira (24), um falso escritório de financiamento que aplica golpes imobiliários, no Centro do Rio, que já somaram mais de 2 milhões e meio de reais em prejuízo para as vítimas.

De acordo com a civil, mais de 10 conduzidos para a delegacia, sendo 1 preso em flagrante até o momento, mais de 20 vítimas foram para delegacia para tentar reconhecer os golpistas, pelo menos mais 100 vítimas já foram identificadas pela polícia.

Ainda de acordo com a civil, um dos conduzidos para a DP tem mais de 80 passagens pela polícia, a maioria por estelionato e ameaça. Esse grupo criminoso já havia aplicado golpes no Distrito Federal, São Paulo e Maranhão.

Quando os policiais chegaram ao escritório da suposta financeira, que se apresenta como cooperativa habitacional, flagraram clientes que não sabiam do golpe assinando contratos. Durante o tempo de permanência no local, mais de 10 outros clientes apareceram para assinar contrato também.

O golpe é o seguinte eles simulam um financiamento para compra de uma casa própria, com entradas a partir de 10 mil reais as vítimas começam a pagar e eles apresentam, de forma dissimulada, para a pessoa um imóvel como se estivesse disponível, no entanto, os imóveis mostrados não estão disponíveis para venda ou, se estão, não é através da cooperativa disse a delegada Dr Patrícia Aguiar

Em geral, o grupo pega imagens na Internet em sites de venda de imóveis e as usam para enganar os clientes. Quando a pessoa descobre que não tem imóvel nenhum e tenta reaver o dinheiro já pago, eles começam a cobrar multas e taxas que não existem para não devolver a quantia, o escritório funcionava na Rua Sete de Setembro, 71, 3° andar.

Todos foram levados para 4ª DP.