XERIFE DA ROCINHA | Atual mulher do traficante Nem da Rocinha é presa por fazer parte de uma quadrilha especializada em clonar cartões de crédito no Rio

383

RIO – A atual esposa do traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, conhecido como Nem ou Nem da Rocinha, foi presa nesta segunda-feira acusada de fazer parte de um grupo espacializado em roubar e clonar cartões de crédito e usar o dinheiro com o crime. De acordo com a Polícia Civil, Raquel Monteiro Duarte Lopes fazia parte de uma quadrilha de clonagem dos cartões. O dinheiro, segundo a polícia, era usado no Itanhangá – área dominada por uma milícia – e também na Rocinha, comandada pelo tráfico. Além de Raquel, que foi presa na Zona Oeste, outros três homens também foram presos. Um imóvel estava sendo construído com o dinheiro roubado.

As investigações começaram há pouco mais de um mês quando uma empresa denunciou que havia sido vítima de fraudadores. A empresa teria sido lesada em mais de duas vezes e chegou a perder mais de R$ 300 mil. Nesta segunda-feira, os agentes descobriram que parte do bando estava fazendo compras em uma loja de material de construção, na Baixada Fluminense, e os produtos seriam entregues na Zona Oeste do Rio.

– Estávamos investigando eles há um mês. Uma empresa foi lesada mais de uma vez e teve o desdobramento com a prisão de algumas pessoas. A diligência foi uma sequência natural das investigações – conta o delegado Roberto Gomes Nunes, titular da 61ª DP (Xerém).

No momento da prisão, os homens compravam ferros para a construção de um prédio no bairro do Anil, na Zona Oeste do Rio. O bando iria gastar comprando a ferragem com os objetos clonados. No estabelecimento foram detidos: Jessé Carlos Pinheiro de Oliveira, Andre Luiz da Mota de Macedo e William Conceição Pereira. O produto seria levado para Raquel. Foram os próprios comparsas de Raquel que denunciaram onde ela estava, em uma construção do casal no Anil.

De acordo com a 61ª DP (Xerém), Raquel foi presa por receptação de carga ilícita. Já os homens foram indiciados por furto mediante fraude e organização criminosa

Roberto Gomes Nunes vai apurar se existem outros integrantes da organização criminosa, bem como o possível crime de lavagem de dinheiro

– Desdobramos a investigação para a lavagem de dinheiro e isso será a próxima etapa. Queremos entender como era gasto esse dinheiro e quantas pessoas foram lesadas pelo bando – disse o policial.

Raquel tira posto de Danúbia, a ‘Xerife da Rocinha’

Raquel Monteiro Duarte Lopes é atual mulher de Nem. A mulher foi alçada à zero 1 e deixou Danúbia de Souza Rangel, conhecida como a ‘Xerife da Rocinha’ com o posto de ex-mulher do criminoso.

A ex-mulher de Nem está presa desde outubro de 2017. Ela já havia ficado presa preventivamente de março de 2014 a julho do mesmo ano e, ainda, de agosto de 2014 a março de 2016. As condenações da mulher são por associação ao tráfico de drogas e corrupção ativa. Os advogados conseguiram a redução da pena no Superior Tribunal de Justiça (STJ) com base em outra decisão do tribunal na qual a pena de Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, foi reduzida. O traficante, antigo aliado de Nem, foi condenado nesse mesmo processo.

Em setembro do ano passado, os advogados da “primeira-dama” do tráfico na favela da Zona Sul do Rio conseguiram diminuir a condenação de Danúbia a 17 anos e quatro meses de prisão para oito anos, dois meses e 20 dias.

O livramento condicional é considerado uma liberdade antecipada, a última etapa da execução da pena. O condenado fica submetido ao livramento pelo período restante de sua pena e precisa cumprir alguns requisitos estabelecidos pelo juiz do caso. A liberdade condicional pode ser revogada caso o beneficiado descumpra alguma das regras impostas.

Como revelado pelo Jornal Extra, a mulher de Nem foi punida administrativamente por supostamente ter beijado outra presa dentro do Instituto Penal Ismael Sirieiro, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, em janeiro do ano passado. A punição foi usada como um dos argumentos para magistrado negar a concessão de livramento condicional para Danúbia.