3ª ONDA | Campos dos Goytacazes registra 1ª infectado pela CEPA INDIANA após desembarcar de um voo vindo da índia

227

O Instituto Adolfo Lutz da Secretaria da Saúde de São Paulo confirmou que o campista que testou positivo para Covid-19 após desembarcar de um voo vindo da Índia foi infectado pela variante B.1.617.2, originada no país asiático.  O paciente tem 32 anos, desembarcou no sábado (22) no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, e foi identificado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável pelo monitoramento no aeroporto.

Ele embarcou para o Brasil com um exame negativo de RT-PCR feito 72 horas antes do voo, exigência prevista em lei para todos os viajantes.Segundo a Anvisa, assim que desembarcou, o homem procurou um laboratório do próprio aeroporto de Guarulhos para fazer um novo teste, já que não se sentia bem.Antes do resultado, viajou para o Rio de Janeiro. Se hospedou em um hotel ao lado do Aeroporto Santos Dumont e, no domingo, viajou de carro até Campos.

Com o teste positivo para Covid-19, o homem voltou para a capital do Rio e está em isolamento.

Assim que o resultado do exame ficou pronto em Guarulhos, o próprio laboratório avisou a Anvisa, que alertou os demais órgãos de vigilância sanitária.Faltava, no entanto, confirmar se ele estava infectado pela nova cepa do coronavírus.O exame foi para o Adolfo Lutz, que sequenciou o vírus e descobriu tratar-se de fato da variante indiana. 

“O órgão federal [Anvisa] informou a pasta estadual sobre o caso positivo quando o passageiro já havia embarcado em voo doméstico para o Rio de Janeiro. A amostra positiva foi enviada ao Lutz e o sequenciamento finalizado nesta quarta-feira (26)”, afirma a secretaria estadual.

O órgão afirma ainda que “imediatamente após ser comunicada pela Anvisa, a Secretaria de Estado de Saúde iniciou, juntamente com o município no qual o aeroporto se encontra [Guarulhos], as medidas de investigação epidemiológicas necessárias.

Foi solicitada a lista completa dos passageiros do voo, além dos nomes de todos os funcionários do aeroporto, laboratório e dos contatos do passageiro para isolamento e monitoramento. As equipes de vigilância do Rio de Janeiro também foram imediatamente notificadas para o acompanhamento do caso”.