Câmara de Magé rejeita contas de 2019 do ex-prefeito Rafael Tubarão

151

Antes de partir para o recesso parlamentar, os vereadores da cidade reprovaram as contas de 2019 do antecessor e adversário do moço , Rafael Tubarão — aquele que despejou lixo em frente ao Inea como protesto pelo fechamento de um aterro sanitário.

Os números do ano anterior já tinham caído na malha fina do Tribunal de Contas do Estado, porém a Câmara reverteu a situação e deu uma segunda chance ao então prefeito.

Desta vez, no entanto, foram apenas dois votos para derrubar o parecer do TCE. Outros 11 decidiram manter a rejeição, três faltaram à sessão e um está de licença, internado com Covid-19.

A reprovação pode tirar Tubarão das próximas eleições. O moço não concorreu em 2020 porque já tinha sido reeleito: ele assumiu um mandato-tampão em 2016, depois que Nestor Vidal foi cassado.

O relatório da corte de contas indica que o ex-prefeito deixou quase R$ 34 milhões em restos a pagar — sem ter o dindim em cauxa.

Este não é o primeiro revés do moço: no ano passado, ele foi condenado por abuso de poder político e conduta vedada pelo Tribunal Regional Eleitoral