Castro queria delegado federal no Degase, mas pedido travou em Brasília

160

No último dia 23 — nove dias antes de estourar o escândalo das adolescentes vítimas de abusos sexuais quando estavam sob a guarda do estado — o governador Cláudio Castro (PL) pediu ao ministro da Justiça, Anderson Torres, a cessão do delegado federal Victor Hugo Poubel.

De acordo com o ofício, caso liberado, Poubel, hoje lotado na Superintendência da PF do Rio, iria “exercer o cargo em comissão, símbolo DG, no Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase)”.

Mas na sexta-feira (02), quando Castro mais precisava de Poubel — já que havia decidido exonerar o diretor-geral Márcio de Almeida Rocha — o ministro ainda não tinha respondido.

O nome de Poubel é uma indicação do deputado federal Altineu Côrtes, presidente do PL — partido de Castro.

Substituto
Em edição extra do Diário Oficial, Castro acabou nomeando o tenente-coronel da Polícia Militar Marcelo Ramos do Carmo como diretor-geral.

Há quem acredite que o moço só dura no cargo até o ministro responder ao ofício.