Rlagos colocou governo de Zé em crise após matéria falando da exoneração em massa do grupo de Aquiles Barreto

500

A reportagem que o Rlagos publicou, com exclusividade, revelando que todos os integrantes do grupo político do ex-secretário de governo, Aquiles Barreto, seriam exonerados pelo prefeito José Bonifácio, provocou uma crise no governo que ganhou a dimensão de um incêndio de grandes proporções e que só agora, um mês depois, está sendo debelado. 

É o que revelou a professora de educação física e triatleta, Flávia de Carvalho, exonerada, ontem, da secretaria adjunta de esportes.  Rodolpho Campbell, apesar dos apelos de vários desportistas da cidade contra a mudança na pasta, assumiu o cargo. Flávia contou que a exoneração dela foi usada pelo governo para apagar o incêndio na prefeitura. Essa foi a explicação que ela diz ter recebido do secretário de Turismo, Esporte e Lazer, Carlos Cunha.

De acordo com Flávia, o incêndio foi provocado pelo atual secretário de governo, Davi Souza, depois da reportagem publicada pelo Rlagos da exoneração de aliados de Aquiles Barreto. Flávia relutou para revelar o teor da conversa com o secretário de Turismo, Esporte e Lazer, mas decidiu falar. “Pensei melhor.

Não estarei mentindo e (Carlos Cunha) não pediu segredo. O incêndio foi provocado por Davi com aquele furo que saiu com a exoneração total do pessoal de Aquiles”. Perguntada se o “furo” a que se referia era a reportagem do Rlagos sobre a exoneração do grupo político de ex-secretário de governo, ela foi categórica

“Isso. E com isso Aquiles veio atrás da promessa de campanha”, revelou, mas não soube precisar que promessa Aquiles teria cobrado do prefeito. Carlos Cunha, de acordo com Flávia deixou claro, ao informar a ela da exoneração, que a decisão partiu do próprio Bonifácio. “A explicação dada pelo secretário e que eles precisavam apagar um incêndio que tinha sido criado dentro da prefeitura, e que o prefeito não quer no momento ocupar a cadeira do secretário adjunto de Turismo e por isso foi entregue a minha cabeça”, contou. Flávia garante que não se arrepende

“Arrependimento nenhum, agradeci e continuo agradecendo a oportunidade que ele (Bonifácio) me deu. Se eu falar que estou arrependida, estarei me arrependendo de todo o meu trabalho. Foi um grande aprendizado. O tempo que eu fiquei lá, eu só trabalhei, não fiz parte de nenhum grupo político.

Entrei por mérito e por isso não sei explicar direito o que aconteceu nos bastidores, disse Flávia, lembrando que não tinha padrinho político e apenas o trabalho poderia mantê-la no cargo, mas não foi suficiente. — Tudo que eu pude fazer pela cidade e pelo esporte eu fiz, finaliza.