Manifestantes fazem atos contra Bolsonaro e a favor da vacina nos 26 estados e no DF

Protestos ocorrem em pelo menos 120 cidades do Brasil. Manifestantes pedem mais vacina, impeachment de Bolsonaro e aumento no valor do auxílio emergencial.

116

Manifestantes foram às ruas neste sábado (24) para protestos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e em defesa da vacinação contra a Covid-19.

Até por volta das 19h20, haviam sido registrados protestos em pelo menos 120 municípios, localizados em 26 estados e o Distrito Federal, incluindo as 27 capitais.

Esta é a quinta vez no ano em que há um dia de protestos pelo país contra o governo Bolsonaro. As demais foram em janeiro, maio, junho e início de julho, sendo que, em janeiro, foi realizada uma carreata.

Assim como as manifestações anteriores, os protestos deste sábado ocorreram de forma pacífica. A maioria dos manifestantes usavam máscara como medida de proteção contra o coronavírus. Em alguns momentos, porém, houve aglomeração, apesar dos alertas sobre distanciamento social.

Além do impeachment de Bolsonaro, a pauta dos protestos também incluiu pedido de aumento do valor do auxílio emergencial pago durante a pandemia e mais recursos para educação. Houve manifestações contra a privatização da Eletrobras e dos Correios.

Veja a situação das manifestações pelo país:

São Paulo

Em São Paulo, manifestantes realizaram um ato contra o governo Jair Bolsonaro na Avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo.

A concentração começou por volta das 14 horas deste sábado, no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp). A via foi completamente fechada para o trânsito de veículos por volta das 15 horas.

Os manifestantes levaram cartazes com dizeres como “Vamos celebrar a vida: viva a vacina e #ForaBolsonaro”, “Amazônia em pé, abaixo Bolsonaro”, “Correios ficam, Bolsonaro sai”.

O ato também teve grandes faixas com as cores vermelha e preta com os dizeres “Fora Bolsonaro”, além de uma longa bandeira verde e amarela. Carros de som se posicionaram ao longo da Paulista, sendo o principal em frente ao Masp.

Rio de Janeiro

Manifestantes se reuniram no Centro do Rio de Janeiro em protesto contra o governo Bolsonaro. A grande maioria deles usava máscara facial. O ato foi encerrado por volta das 15h.

A concentração do ato teve início por volta das 10h na Avenida Presidente Vargas, em frente ao monumento em homenagem a Zumbi dos Palmares. De lá, eles seguiram em caminhada rumo à Praça da Candelária.

O ato foi convocado por centrais sindicais e partidos políticos, que formaram um grupo batizado de Bloco Democrático. A pauta de reinvindicações era diversa. O próprio grupo denominou a manifestação como “dia de unir o país em defesa da democracia, da vida dos brasileiros e do fora Bolsonaro”.

A manifestação terminou por volta das 15h. No fim do protesto, a Polícia Militar abordou alguns manifestantes e houve um princípio de tumulto nas imediações do ato.

Um homem foi detido por PMs na Rua Nilo Peçanha e levado para a 5ª DP (Mem de Sá). Em outro momento, os policiais também usaram spray de pimenta para dispersar integrantes do protesto.