Com o apoio do sambista Xande de Pilares, cantora valoriza espaços históricos de Campos dos Goytacazes

233

A cultura de Campos perpassa por diversos segmentos, porém nasce uma nova estrela. A jovem campista Karine da Silva Mendonça de apenas 23 anos, que é compositora, interprete e artista independente, costuma misturar ritmos “abrasileirados”. Entre eles, Samba, Bossa Nova, também outros clássicos do nosso país. A cantora gravou recentemente uma música com o famoso cantor Xande de Pilares “e usa e abusa” dos espaços culturais de Campos repletos de histórias para desempenhar a sua arte.

Em entrevista ao jornalista, explicou que há uma valorização do seu trabalho quando une-se talento, cultura e diversos espaços históricos do município. Dando mais detalhes desta união, Karine, ponderou que todo o processo de produção de seu EP foi realizado com artistas e profissionais locais, e que faz parte do conceito do trabalho escolher lugares importantes da cidade para serem locações dos clipes. “No Rit “Em Cais”, a primeira faixa, a locação principal foi o Museu histórico, mostramos a fachada do Liceu e terminamos no Cais da lapa. Na segunda faixa, sendo uma outra música de sucesso denominada “Aquarela”, o clipe inicia no Cais da lapa e a locação principal escolhida foi o clube de regatas Rio Branco. Já na música “Matilha”, a locação escolhida foi o Trianon”, enfatizou.

A menina de ouvido esperto, contudo, volta um pouco ao passado contando como iniciou a carreira artística. “Aconteceu no colégio. Ninguém da minha família trabalha com música, e apesar de sempre ouvir muito as músicas que minha mãe escutava, nunca tinha imaginado que gostava de cantar até entrar num coral de crianças do João Paulo II. Uma professora me chamou pra cantar uma música sozinha e a partir daí eu era chamada pra cantar música sempre nas festinhas da escola”, contou nostálgica.

Porém nem tudo foi fácil. Os momentos difíceis surgiram diante do tempo. “Antes da pandemia estudava no Instituto Federal Fluminense, fazia estágio na prefeitura e nos fins de semana cantava profissionalmente. Quando a pandemia chegou os eventos pararam, o estágio foi suspenso e o IFF cancelou as aulas. Foi aí que comecei a pintar. Hoje trabalho com minha marca de pintura e com esse trabalho consigo financiar toda a produção do meu EP”, ressaltou.

A jovem de canto afinado, ainda, enfatiza um pouco mais das mudanças que sua vida sofreu devido à pandemia. “Parei no nono período do curso de Arquitetura e Urbanismo. Agora atuo com meu trabalho de pintura artística que surgiu na pandemia, porque infelizmente a gente não podia trabalhar mais em eventos. Eu cantava todo fim de semana com Apollo Ramidana (cantor local) durante 1 ano e meio com ele fazendo segunda voz e cantava algumas músicas nos bailes de formatura e casamento com Apollo”, contou a jovem.

Mas o caminho da cantora reservou surpresas. O sambista Xande de Pilares iniciou uma amizade virtual após ele conhecer ou reconhecer o talento da moça. “Um belo dia estava me arrumando pra sair e postei um story no Instagram ouvindo revelação e marquei o Xande despretensiosamente, eu nunca imaginava que ele poderia ver. Mas ele viu, entrou no meu Instagram, assistiu os meus vídeos e comentou em um post em que eu interpretava, pois “folhetim”, é música que ficou famosa na voz da Gal Costa. Ele começou a me seguir, trocamos algumas mensagens no Instagram e eu fiquei imensamente feliz por ter sido notada por uma grande referência da música popular brasileira pra mim. O tempo passou, fiquei sabendo que ia ter show dele na Praia do Farol. Estava atolada nos projetos da faculdade e não podia sair naquele fim de semana, mas algo me dizia na minha mente “vai”. Larguei tudo e fui, e foi naquele show que eu fui surpreendida com uma música que ele dedicou pra mim, e como se não fosse o bastante ele me chamou pra cantar no palco. Cantei dois sambas com ele e depois do show pudemos conversar bastante no camarim. Ele me disse que pegaria meu contato para fazer um trabalho juntos.

O tempo passou. Um belo dia eu acordei e meu nome estava nas páginas no Facebook. Estavam procurando a menina que cantou com Xande em Farol. Xande pediu para o Aldir Jabá, amigo pessoal dele que é de Campos, me procurar. Começamos a conversar bastante no WhatsApp, aprendi muito com ele e com o tempo começamos a compor umas músicas juntos, assim, que a terceira faixa do meu EP “Matilha” nasceu. Às vezes parece até história de filme, mas aconteceu mesmo, e eu sou muito grata a Deus por ter me dado o presente dessa amizade e me sinto muito grata ao Xande por acreditar tanto no meu trabalho e realizar um dos meus maiores sonhos que era dividir uma música com um grande nome da MPB. Ainda temos a última faixa do EP pra lançar e estamos animados não só com o último lançamento desse trabalho, mas também com o start nas apresentações e shows que vão começar a acontecer a partir do mês de agosto. Estamos sedentos por um show”, finalizou a jovem artista cheia de sonhos.

Pra galera que quiser acompanhar a programação e os lançamentos:

Instagram: @karineoficialmusic

Contato para shows: [email protected]