DEU RUIM| Departamento de lavagem de dinheiro entra na força-tarefa para investigar morte de Wesley Pessano; Executores já foram presos

Polícia quer identificar membros de organização criminosa que estejam lucrando com golpes na Região dos Lagos

801

Rio – O Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR-LD) passa, a partir desta terça-feira (10), a integrar a força-tarefa criada para investigar a morte do investidor do mercado financeiro (trader) e youtuber Wesley Pessano, de 19 anos.

Quem matou Pessano: Polícia civil diz que investigações estão próximo de prender o mandante de mandar matar Wesley Pessano em São Pedro da Aldeia

Ao RLAGOS, o titular do departamento, delegado Flávio Porto, afirmou que o objetivo é “investigar as empresas e corretoras ligadas aos envolvidos no assassinato ocorrido em São Pedro da Aldeia. Também vamos realizar uma investigação financeira paralela para identificar membros de organização criminosa que estejam se beneficiando financeiramente com a disputa pelo mercado que vem ocorrendo na região”.

Casos Pessano: Operação da policia civil prende três suspeito de matar Wesley Pessano o “REI DO PULLBACK” em São Pedro da Aldeia

Pelo menos três empresas do setor já são investigadas. Uma das linhas apuradas para a motivação do assassinato é um possível golpe de pirâmide financeira e a disputa pelo mercado financeiro da região. Pessano prometia lucros rápidos com bitcoins, o que seria um indício de pirâmide, um esquema fraudulento de lucro.

Veja como foi o crime: Investidor em criptomoedas é assassinado dentro de Porsche na Região dos Lagos

Pessano foi morto a tiros, no último dia 4, dentro de um carro, modelo Porsche, avaliado em R$ 450 mil, em Cabo Frio, na Região dos Lagos. Três pessoas já foram presas por suposto envolvimento no crime, entre eles, um que seria o executor.

A polícia agora trabalha para chegar até o mandante do crime, segundo o delegado titular Dr Milton Siqueira as investigações estão muito bem rápidas, faltam ainda muitas testemunhas a depor principalmente o homem que estava com Wesley no dia do crime dentro do carro, o quebra cabeça ainda falta algumas peças, mais a polícia já está próximo do mandante.

Edson da Costa Marinho, foi preso com uma replica de fuzil em Rio das Ostras por policiais da 125ª DP, já Roberto Silva Campanha e Chingler Silva Campanha, foram presos em, Brás de Pina Zona Norte do Rio, os dois estavam em posse de um veiculo Voyage prata que foi usado no dia do crime em São Pedro da Aldeia.

A operação foi batizada de PULLBACK pois, Wesley Pessano apresentava-se como “rei do pullback”, expressão do mercado financeiro que indica movimento de correção contrário à tendência de mercado, ou seja, ativos que podem sofrer alterações drásticas no preço em pouco tempo.