Irmão do traficante Alvarenga do Parque União, ‘Gordo’ é preso enquanto jantava em restaurante de luxo em Armação dos Búzios

Diogo de Moura Resende, o 'Gordo do Parque União', é acusado de tráfico de drogas e apontado como líder de um quadrilha de assaltantes. Ele vivia no Nordeste e veio para o Rio por conta do Dia dos Pais

276

Rio – Policiais civis da 21ª DP (Bonsucesso) prenderam nesta quinta-feira (12) o traficante Diogo de Moura Resende, o ‘Gordo do Parque União’. Ele é irmão de Jorge Luiz Moura Barbosa, o ‘Alvarenga’, que comanda a venda de drogas na favela Parque União, no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, há mais de uma década.

Gordo foi preso em Búzios, na Região dos Lagos. A polícia conseguiu identificar que ele estava vivendo em Fortaleza, no Nordeste, mas veio para o Rio para o Dia dos Pais e, logo depois, se hospedou em uma pousada de luxo na cidade de veraneio. O traficante jantava com a mulher em um restaurante na Rua das Pedras quando foi abordado pelos agentes.

As investigações da policia apontam Gordo como integrante do tráfico de drogas do Parque União. Ele também é investigado por liderar uma quadrilha de assaltantes. Um dos crimes cometidos pelo bando foi o roubo de uma carga de celulares na Linha Vermelha, em 2019. Na ocasião, Gordo e mais sete criminosos renderam o motorista do caminhão e o veículo que realizava a escolta. Durante o assalto, Diogo foi reconhecido portando um fuzil e coordenando a ação criminosa.

A polícia destaca que Gordo possui uma extensa ficha criminal, com passagens por roubos de cargas, tráfico de drogas, homicídios e organização criminosa.

Alvarenga

Jorge Luiz Moura Barbosa, o ‘Alvarenga’, é um dos traficantes mais procurados do Rio. As investigações da polícia apontam que ele comanda a venda de drogas no Parque União há mais de dez anos. O criminoso, nascido no conjunto de favelas, nunca foi preso, sendo foragido desde 2006, quando passou a responder o primeiro processo criminal por tráfico de drogas, possuindo atualmente diversos mandados de prisão por seus crimes.

Alvarenga não costuma ostentar e é conhecido por ter perfil discreto, mas apesar do perfil mais reservado, gosta de promover grandes bailes funks na favela.

O Disque-Denúncia oferece R$ 1 mil por informações sobre seu paradeiro.

Há anos o comando do Parque União está nas mãos da família de Alvarenga. Até os anos 90, o chefe do tráfico na comunidade era seu padrasto, o sequestrador conhecido como Zé Gordo. No fim dos anos 90, quando o criminoso foi morto, seu filho, Diogo, chegou a assumir o controle do tráfico na comunidade, mas com sua prisão em 2007, Alvarenga passou a ser o “zero um” da favela.