Âncora da Globo encarou noitada com Fidel Castro por entrevista: ‘Fiquei bamba’.

269

Âncora da Globo no Rio de Janeiro, Mariana Gross teve que encarar uma noitada em um bar para entrevistar Fidel Castro (1926-2016). Entre doses de uísque e daiquiri, a então estagiária da rádio CBN conseguiu o bate-papo com o politico. Mas a conversa não saiu conforme o planejado: “Fiquei bamba”.

“Ele [Castro] foi andando com os guardas e assessores para um bar que ficava do lado do hotel. Falei: ‘Vamos entrar lá’. Chegamos lá, os assessores já me olharam, já me conheciam. Vi que o Fidel pediu um uisquinho, pedi também”, relatou Mariana ao Que História É Essa, Porchat?, no GNT.

Na conversa com Fabio Porchat, exibida na terça-feira (7), a integrante do rodízio do Jornal Nacional disse que levantou o copo no bar, o que despertou a atenção do governante: “Comecei a aproximação com os assessores. Não falaram nada, aí estava indo embora. Só ouvi a voz do Fidel para mim: ‘Venga chica'”

“Foi forte! Eu, uma estagiária, fiquei tremendo, bamba”, admitiu a âncora do RJ1. Sem saber falar espanhol, Mariana deu início ao bate-papo com Castro, enquanto arranhava algumas frases no idioma. “Sabe aquele papo mole? Tentava embutir uma pergunta da política externa, sobre a relação entre Brasil e Cuba. Ele saia pela tangente, e eu também não dominava a língua. Tentava de tudo, mas não estava conseguindo. Ele foi embora, os assessores disseram que já tinha gravado algumas coisas, mas não tive coragem nem de mostrar para o meu chefe. Não rendeu”, pontuou ela .

No final, Castro pagou a conta das bebidas consumidas pela jornalista durante a tentativa de entrevista. “Fiquei feliz nessa hora”, brincou Mariana.

*Com informações do UOL*