O NOVO GOLPE | Rogério Cruz cria criptomoeda K-Sportsoken, para driblar investidores após o golpe do Alphabets

694

O empresário Rogério Cruz, dono do CEO ALPHABETS, após o golpe que deixou milhares de pessoas levadas, está as prestes de tentar aplicar uma ou golpe pior ainda. Dessa vez Rogério criou sua própria moeda a K-SPORTSPOKEN, que está no mercado a um mês.

A nova moeda foi criada pelo golpista no dia 23 de agosto de 2021, após 1 mês da moeda criada Rogério Cruz sumiu do mapa.

O que é a Alphabets

A empresa, segundo consulta na Receita Federal, foi fundada em março de 2020 por Rogerio Cruz Guapindaia, que se identifica apenas como ‘Rogerio Cruz’. O nome empresarial do negócio é ‘Poupe Investe Investimentos Eireli’.

Em seu site, a Alphabets oferece “planos de licenças” de um suposto software capaz de pagar lucros de 1,2% a 3,2% ao dia, ou 300% em até 11 meses. Os pacotes custam R$ 500 e R$ 100 mil.

O suposto programa replica as apostas que Cruz faz no bet365, que é uma das principais plataformas de apostas do mundo.

A Alphabets também tem um programa de bonificação por indicação ou venda das licenças e um plano de carreira que depende do número de indicações e do volume arrecadado. Quanto mais indivíduos a pessoa leva para o negócio, mais dinheiro ganha.

Rogério Cruz Guapindaia foi condenado em 2017 por tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico. Desde ontem, passou a ser investigado pela 125ª DP (São Pedro da Aldeia) por diversos crimes, entre eles, estelionato.

Lucro de 3,2% ao dia

O anúncio do fechamento da Alphabets também foi feito por Rogério Cruz Guapindaia. Na mensagem, o empresário afirmou, em seu seu perfil nesta rede social, que o motivo do encerramento das atividades foi “a total inviabilidade de migração para um novo sistema”.

No mesmo texto, o empresário afirmou que criou um plano de pagamentos “com bases sólidas, iniciado do zero e 100% enquadrado nas leis brasileiras”. Por fim, informou que será necessário um prazo de 30 dias para o início e implementação do plano de pagamentos adotado.

‘Primeiro robô de operações esportivas’

Em seu site, a Alphabets se apresenta como “o primeiro robô de operações esportivas do Brasil” e promete lucros de 1,2% a 3,2% ao dia, de segunda-feira a sábado. Ainda de acordo com o site, a empresa fornece um “software gratuito de alta performance objetivando lucros e renda no mercado de apostas esportivas”. Para começar a apostar, é preciso escolher uma modalidade de licença: são oito disponíveis, com valores que variam de R$ 100 a R$ 100 mil.

Um cliente da Alphabets, que preferiu não se identificar, lamentou ter investido R$ 1 mil na empresa no mês passado.

— Efetuei a compra de duas licenças, mas disseram que o sistema mudou e meu saldo foi zerado após a migração. Depois começaram a cobrar uma taxa de 5% para automatizar o saque. Estou desde o dia 2 tentando efetuar o cancelamento das minhas licenças. Não cheguei a receber um centavo do valor investido — disse o morador de Búzios.

Outro cliente da empresa, também sob condição de anonimato, contou que já imaginava a possibilidade de perder o investimento.

— Eu sabia que, se eu entrasse em um esquema como esse, poderia sair no prejuízo. Em pleno século XXI, com todos os meios de informações que temos em mãos, eu tenho certeza de que todo mundo que entrou nesse esquema sabia dos riscos — disse.

Carreata nas ruas de Cabo Frio

Um grupo de investidores revoltados com o fechamento de uma empresa suspeita de pirâmide financeira em Cabo Frio, na Região dos Lagos, na última quarta-feira, seguiu um carro de som a partir da Praça São Cristóvão, até a porta da 126ª DP, neste domingo, para reforçar sua insatisfação perante o não pagamento de suas aplicações. Os motociclistas e motoristas participantes do ato se identificam como vítimas de Rogério Cruz, o CEO da Alphabets Investimentos, empresa de apostas que atualmente é investigada pela Polícia Civil.

Segundo informações da página em rede social “RLagos Notícias”, a carreata começou às 12h15 no início da Avenida Teixeira e Souza, terminando diante da delegacia, para demonstrar sua indignação, bem como para reforçar desejo por uma resposta breve dos investigadores. Segundo a Polícia Militar, agentes do 25º BPM (Cabo Frio) acompanharam a manifestação, que seguiu pela Avenida Teixeira e Souza.

O descontentamento das vítimas também é manifestado nas redes sociais. O perfil no Instagram @rogeriocruz.official, que divulga acusações contra o suspeito, postou alguns relatos de pessoas que se dizem lesadas pela Amphabets em seus stories neste domingo.

“Tenho 3 filhos. Investi com o intuito de terminar minha casa. Tô sem chão”, comentou uma vítima.

“Investi e não contei pra ninguém, estou com vergonha de falar que fui enganado porque tenho só 18 anos”, desabafou um jovem.

“Perdi 140 mil, minha esposa investiu também o salário dela de médica, lá se foram mais 10 mil”, contou outra pessoa.

“Investi 16 mil e nem recebi 50%. Fiz empréstimo e agora não tenho como pagar porque estou desempregada”, disse mais uma vítima.

O presidente da empresa investigada, já condenado por tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico, publicou um vídeo um dia após o fechamento da Alphabets dizendo que ele “tem influência dentro do governo” e “amigos policiais”.

O caso que lhe rendeu a condenação começou em 2016, quando ele foi preso em flagrante ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Natal (RN) com três quilos de ecstasy na mala.