O BAMBU GEMEU | Vereador Roberto Jesus leva “cúpula” da secretaria de saúde de Cabo Frio pra delegacia por suspeita de fraude

412

O vereador de Cabo Frio, Roberto Jesus (MDB), prestou queixa na 126°DP contra a Secretaria de Saúde do município cabo-friense.

Roberto recebeu uma denúncia de que o almoxarifado da Secretaria havia feito uma nota de empenho de uma compra elevada de 400 mil unidades de capotes ( jalecos contra a Covid-19), seria um jaleco impermeável com um custo de aproximadamente R$4,00 (quatro reais) a unidade, mas na verdade à Secretaria teria recebido um material inferior, que de acordo com o legislador municipal, custaria menos de R$1,00 (um real).

Segundo o vereador, ele se dirigiu à Secretaria de Saúde para falar com o secretário, Felipe Fernandes, que o atendeu, no entanto, não resolveu o problema. Fernandes indicou o chefe do almoxarifado para acompanhar Jesus nessa fiscalização.

Roberto afirmou, que o chefe do almoxarifado disse que dos 400 mil jalecos impermeáveis, 50 mil já haviam saído para os hospitais da cidade e que os outros 350 mil restantes ainda seriam entregues, mas ele ( o chefe do almoxarifado) não conseguiu apresentar nenhum comprovante de que os jalecos tinham sido entregues nas unidades hospitalares.

Roberto ainda declarou, que o chefe do almoxarifado da Secretaria de Saúde falou, que na verdade houve um aditivo que trocou a mercadoria, algo ilegal segundo Jesus.

O chefe do almoxarifado não sabia informar onde se encontravam as notas das compras dos jalecos impermeáveis nem o documento, que comprovava a retirada da mercadoria da Secretaria.

Como nenhuma nota foi apresentada, foram todos para à Delegacia.

“Aqui a gente não está acusando ninguém, fique bem claro isso. Recebi uma denúncia de que tinha feito uma compra de um material de um valor elevado de R$4,00 (quatro reais) cada unidade, e que teria sido comprado 400 mil unidades. E na denúncia me falaram, que havia sido entregue um produto de menos de R$1,00 (um real), cerca de noventa centavos. Isso afeta muito o nosso erário, afeta demais o dinheiro público.

Então, nós viemos aqui, fomos lá no almoxarifado somente pra fazer uma fiscalização e trazer a transparência para a população.

Como não foi apresentada a nota, nós viemos aqui na Delegacia para ser feita uma ocorrência, eu vou pegar a cópia desse R.O. e se for comprovado que foi comprado com dinheiro público federal, que é a verba do covid, eu também apresentarei essa denúncia no Ministério Público Federal para que os órgãos competentes possam tomar as medidas necessárias”, finalizou Jesus.