Vídeo: Polícia usa imagens das câmeras de segurança para tentar localizar quadrilha que furta passageiros nas Rodoviárias do Interior do Estado do Rio de janeiro após irmão de Perito Criminal ser alvo dos bandidos em Casimiro de Abreu; vítimas relataram o crime em Campos

215

Foram divulgadas imagens de supostos criminosos que furtam passageiros nas rodoviárias das cidades do interior do Estado do Rio de Janeiro. Imagens divulgadas pela polícia mostram que integrante da quadrilha circula tranquilamente pela Rodoviária de Casimiro de Abreu e encontra os comparsas depois do furto. Na imagem é possível notar o momento em que o homem de camisa vermelha passa com a mochila da vítima.

A denúncia surgiu no momento em que um gerente da Petrobras e irmão dele, um Policial Civil atuante no estado do Rio, foi furtado enquanto o ônibus da Empesa 1001 realizava uma parada para pegar outros passageiros na Rodoviária de Casimiro de Abreu. O funcionário da estatal embarcou na Rodoviária da Cidade de Macaé com destino ao Rio de Janeiro nesta segunda-feira (4).

De acordo com a Polícia Civil, após a vítima iniciar a viagem, o ônibus parou na Rodoviária e, no momento de distração, não percebeu a ação criminosa. “Ele dormia e deixou sua mochila do lado com equipamentos profissionais, além de outros aparelhos e quando percebeu tudo havia sido furtado”, informou um policial.

A vítima ressaltou ainda a falta de segurança dos ônibus da Empresa 1001, alegando descaso com o passageiro. “A empresa não me procurou pelo menos para reparar o prejuízo, já que os meus pertences foram furtados dentro do coletivo deles”, destacou.

Ao perceber que tinha sido furtado, acionou a polícia do município, que registrou o crime e utiliza o vídeo gravado das câmeras de segurança para localizar a quadrilha.

Em Campos, algumas pessoas relataram que foram furtadas. Mostramos a imagens para as vítimas e logo os reconheceram. Eles afirmam que tiveram seus pertences roubados dentro e fora dos ônibus nas duas rodoviárias da cidade. Com medo de retaliações, preferiram não se identificar.

 Procurada, a 1001 não comentou sobre o imbróglio.