Brasil se aproxima de 600 mil mortes por Covid com menor média móvel de vítimas em quase 11 meses

190

O Brasil registrou nesta quinta-feira (7) 451 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 599.865 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 438 —a menor marca registrada desde 13 de novembro (quando estava em 403), há quase 11 meses. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -22% e passou a apontar quedaapós 12 dias seguidos em estabilidade.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta quinta (7). O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Veja a sequência da última semana na média móvel:

  • Sexta (1): 513
  • Sábado (2): 500
  • Domingo (3): 500
  • Segunda (4): 498
  • Terça (5): 479
  • Quarta (6): 464
  • Quinta (7): 438

Em 31 de julho, o Brasil voltou a registrar média móvel de mortes abaixo de 1 mil, após um período de 191 dias seguidos com valores superiores. De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média móvel acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril.

Quatro estados (AM, RO, CE, PI) apresentam alta de mortes.

Em Alagoas, Amapá e Roraima, não houve registro de morte no último dia. Após redução do total de mortes no Acre em -4 na véspera, a secretaria esclareceu que houve erro na divulgação, e esses óbitos voltaram a contar no total no estado.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia, 21.532.210 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 14.696 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 15.205 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de -53% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica queda nos diagnósticos.

A grande queda indicada pela variação merece ressalva, já que os dados de duas semanas atrás estavam inflados após a inclusão de dezenas de milhares de casos represados. Diversos estados tiveram problemas após um ajuste no sistema nacional que centraliza os dados de casos de Covid, o que resultou nesse represamento.

Em seu pior momento a curva da média móvel nacional chegou à marca de 77.295 novos casos diários, no dia 23 de junho deste ano.

Brasil, 7 de outubro

  • Total de mortes: 599.865
  • Registro de mortes em 24 horas: 451
  • Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 438 (variação em 14 dias: -22%)
  • Total de casos confirmados: 21.532.210
  • Registro de casos confirmados em 24 horas: 14.696
  • Média de novos casos nos últimos 7 dias: 15.205 (variação em 14 dias: -53%)

Estados

  • Em alta (4 estados): CE, AM, RO, PI
  • Em estabilidade (6 estados e o DF): MG, DF, SE, PE, ES, MA, RS
  • Em queda (16 estados): SC, PB, MS, RR, GO, SP, PR, AP, AL, RJ, RN, TO, MT, BA, PA, AC

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

Vacinação

Mais de 97 milhões de brasileiros tomaram as doses necessárias contra a Covid e estão totalmente imunizados. São 97.212.008 doses aplicadas (segunda dose ou dose única), o que corresponde a 45,57% da população, segundo dados também reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa.

Os que tomaram a primeira dose e estão parcialmente imunizados são 148.856.842 pessoas, o que corresponde a 69,78%% da população. A dose de reforço foi aplicada em 1.954.584 pessoas (0,92% da população).

Somando a primeira dose, a segunda, a única e a de reforço, são 248.023.434 doses aplicadas desde o começo da vacinação.