URGENTE |Atirador que matou investidor de criptomoeda “Wesley Pessano” em São Pedro da Aldeia é preso no Rio de Janeiro pela Policia Civil

Luiz Fillipe Vieira Cherfan Tavares, vulgo Branquinho ou Playboy, foi preso na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. Ele também é investigado por participação do tráfico na Maré.

491

A Delegacia de Repressão a Entorpecentes prendeu, nesta quinta-feira, um dos suspeitos de matar o investidor de criptomoedas Wesley Pessano, de 19 anos, em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos. O crime ocorreu em agosto.

Veja tambémForagido da justiça “Vulgo FB” é apontado de contratar todos os envolvidos na morte de Pessano; FB tem ligação com o mandante do crime diz policia

Luiz Fillipe Vieira Cherfan Tavares, vulgo Branquinho ou Playboy, foi preso na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. Ele também é investigado por participação do tráfico na Maré, por suas ligações com Thiago da Silva Folly, o TH.

Com a prisão de Luiz Fillipe, já são sete presos com envolvimento com o homicídio. Apenas um permanece foragido.

Quem matou Pessano: Polícia civil diz que investigações estão próximo de prender o mandante de mandar matar Wesley Pessano em São Pedro da Aldeia

O investidor, que morava em Cabo Frio, foi morto com pelo menos três tiros na Rua Marechal Castelo Branco, no bairro São João.

Um homem de 27 anos, que estava no carona, foi ferido no braço e nas costas e levado para um hospital de Araruama.

Wesley teria ido até a comunidade para cortar o cabelo.

Crime aconteceu no meio da tarde e assustou os moradores da localidade, em São Pedro da Aldeia, no RJ — Foto: Reprodução/Redes sociais

Contra Luiz Felipe foi expedido o mandato de prisão preventiva durante a operação Pullback (expressão que remete a um movimento de correção repentino que contraria a tendência do mercado). A investigação, a cargo da 125ª DP (São Pedro da Aldeia), já prendeu outros suspeitos por envolvimento no caso. Wesley Pessano foi morto a tiros no município da Região dos Lagos, no São João. Morador de Cabo Frio, ele estava chegando para cortar o cabelo e, ainda dentro do carro, um Porsche Boxster vermelho, acabou baleado quando outro veículo emparelhou.

Veja como foi o crime: Investidor em criptomoedas é assassinado dentro de Porsche na Região dos Lagos

Contra Fábio Natan constam três mandado de prisão, sendo dois pelo crime de Homicídio (Artigo 121 do CP), e um terceiro expedido pela 2ª Vara Criminal da Comarca de São Pedro da Aldeia, com número do mandado restrito ao CNJ.

 Disque Denúncia recebe informações sobre a localização de Fábio Natan Nascimento, nos seguintes canais de atendimento:

Casos Pessano: Operação da policia civil prende três suspeito de matar Wesley Pessano o “REI DO PULLBACK” em São Pedro da Aldeia

Na manhã desta quinta-feira (02), uma operação da Força Tarefa da policia civil que está a frente do caso da morte de Wesley Pessano prenderam mais três suspeito.

São eles:

  • Thiago Julio Galdino
  • Bruno Luzardo Vidal Sabajes
  • Valder Janilson Chaves dos Santos.

Investigações da policia dão conta que os três presos no mês passado, levaram os executores até a Região dos Lagos no dia do crime dando cobertura para eles e mostrando todo o caminho que Pessano fazia no dia a dia.

Foragido da Justiça Fábio Nascimento o FB

De acordo com a polícia, os criminosos já estavam vigiando Pessano algumas semanas e já sabia de todos os seus trajetos pela Região, que horas sabia de casa hora que chegava e com quem estava.

Wesley Pessano foi morto dentro de um Porsche na última quarta-feira. O automóvel avaliado em R$ 440 mil estava com duas marcas de tiro. O rapaz foi alvejado por vários disparos.

“A forca-tarefa da Polícia Civil do Rio de Janeiro que investiga a morte de Wesley Pessano Santarém, assassinado a tiros em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, na última quarta-feira, já prendeu três pessoas envolvidas no crime. O veículo utilizado na execução também foi apreendido. As investigações prosseguem com o grupo composto pela delegacia de São Pedro da Aldeira, Cabo Frio, Armação de Búzios, Iguaba Grande e 4º DPA”, diz em nota a corporação sobre o caso.