YouTube remove live de Bolsonaro e suspende conta do presidente por sete dias

152

O YouTube decidiu bloquear o canal do presidente Jair Bolsonaro por sete dias, após Bolsonaro publicar na plataforma uma de suas lives semanais com mensagens falsas sobre a vacinação contra a Covid-19. A postagem, em que o presidente associa a vacina ao desenvolvimente de Adis, o que foi desmetido pela comunidade científica, também foi retirada do ar. É a primeira vez que uma rede social suspende um perfil de Bolsonaro.

“Removemos um vídeo do canal de Jair Bolsonaro por violar as nossas diretrizes de desinformação médica sobre a COVID-19 ao alegar que as vacinas não reduzem o risco de contrair a doença e que causam outras doenças infecciosas. As nossas diretrizes estão de acordo com a orientação das autoridades de saúde locais e globais, e atualizamos as nossas políticas à medida que a orientação muda. Aplicamos as nossas políticas de forma consistente em toda a plataforma, independentemente de quem for o criador ou de sua opinião política”, informou a plataforma.

O bloqueio ocorreu porque o presidente já havia descumprido as regras da plataforma sobre a Covid-19 em julho, quando afirmou que máscaras não previnem a contaminação ou transmissão da doença. Caso Bolsonaro receba um novo alerta, seu canal será bloqueado por 14 dias. Se receber três avisos em até 90 dias, sua conta será excluída.

Ao todo, a plataforma do Google removeu 33 vídeos do canal oficial do presidente desde abril, quando atualizou suas políticas para proibir vídeos que recomendem o uso de hidroxicloroquina ou ivermectina para a Covid-19, medicações sem eficácia para o tratamento da doença. A última vez ocorreu em maio. Em setembro, o YouTube fez uma nova atualização de suas políticas para incluir casos de desinformação sobre a vacinação.