IML confirma em laudo morte de Marília Mendonça por politraumatismo com queda de avião

Policia Civil reuniu a imprensa para revelar detalhes das investigações

178

Minas Gerais – A Polícia Civil de Minas Gerais divulgou nesta quinta-feira, 25, o laudo que confirmou a causa da morte da cantora sertaneja Marília Mendonça e das outras quatro vítimas do acidente aéreo ocorrido em Piedade de Caratinga (MG) no dia 5 de novembro. Em entrevista coletiva, foi confirmada a hipótese levantada logo após o acidente.

Após um politraumatismo, ou seja, múltiplos traumas nos órgãos internos causados pela queda da aeronave, todos morreram de forma instantânea. Além da sertaneja, também morreram Geraldo Medeiros, o copiloto, Tarciso Viana, o produtor, Henrique Ribeiro, e o tio e assessor de Marília, Abicieli Silveira Dias Filho.

De acordo com informações do Globo, o médico-legista Thales Bittencourt de Barcelos afirmou que por conta do impacto da aeronave no solo as vítimas sofreram um politraumatismo.

“É possível afirmar que a morte ocorreu a partir do impacto da aeronave no solo, que levou ao politraumatismo grave de todas as vítimas”, disse o médico, baseando-se no laudo realizado pela perícia técnica.Também durante a entrevista coletiva, o delegado Ivan Lopes Sales contou que a provável causa do acidente está próxima de ser revelada. “A gente avançou com essa oitiva. Não descartamos nenhuma possibilidade. Mas há fortes indícios que as linhas de transmissão teriam sido as causadoras do acidente”, disse o delegado.

Nas investigações, uma das hipóteses levantadas é de que uma das hélices do avião tenha atingido um cabo de uma torre da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Porém, o médico legista destacou que, em casos de choque, normalmente há queimaduras e “não havia esse tipo de lesão”.