Polícias Civil e Federal investigam jornalista, que se envolveu com cafetina para fazer exploração sexual com menores e prostituição na Região dos Lagos.

398

As Polícias Civil e Federal estão investigando em conjunto um ou uma jornalista da Região dos Lagos, que se envolveu em um esquema de prostituição com uma cafetina.

Há nessa rede de exploração sexual, garotos e garotas de programa maiores de 18 anos e até menores de idade estão envolvidos.

Uma pousada ou um albergue é usado para a realização dos programas. O tal ou a tal jornalista aproveita o negócio para fazer uma permuta com a sua sócia, se deitando com os rapazes que ele ou ela chama de “anjinhos”.

A investigação corre em sigilo, mas fontes do Rlagos revelaram que os policiais estão perto de desvendar o caso e colocar todo mundo no xilindró. Ainda de acordo com as nossas fontes, a movimentação no local é frenética tanto de dia, quanto de noite. Inclusive, ainda segundo as nossas fontes, os sócios já estão até brigando por causa de dinheiro, porque eles ou elas não se entenderam em relação a quem vai administrar a grana da organização.

A cafetina tem todo o controle até agora, o ou a jornalista está de laranja na história por causa do seu gosto por ‘boys magia’ , porém ele ou ela está desesperado ou desesperada atrás de dinheiro. Fontes disseram, que a dona do negócio é a cafetina, que trouxe todo o esquema de fora da Região. O jornalista é o laranja e ajuda na captação de clientes com “potencial” para a rede de exploração sexual