Por que tantas pessoas ainda odeiam o Bitcoin

A reação ao comercial de Matt Damon é apenas o lembrete mais recente: muitas e muitas pessoas realmente odeiam criptomoedas. O que poderia fazê-las mudar de opinião?

387

O comercial de televisão de Matt Damon para a Crypto.com compara investidores de criptomoedas a exploradores, alpinistas, os irmãos Wright, astronautas e um cara prestes a beijar uma garota em uma festa.

Está sendo veiculado desde outubro mas apenas esta semana o público em massa começou a prestar atenção. E suas reações foram brutais.

No Financial Times, a crítica Jemima Kelly chamou o anúncio de “grotesco”. O Daily Beast considerou a propaganda como uma “tentativa constrangedora de ganhar dinheiro”.

A colunista do The Guardian Carole Cadwalladr tuitou para seus 600 mil seguidores: “Não existem ‘ecas’ suficientes no mundo para descrever Matt Damon promovendo um esquema Ponzi”.

Matt Damon não é a primeira celebridade a participar de uma propaganda paga de cripto.

A FTX possui propagandas com Gisele Bündchen e Tom Brady há meses. Copper, custodiante institucional de cripto, apresentou uma nova propaganda em novembro com a atriz Rebecca Ferguson (que recentemente apareceu no filme “Duna”) tirando um cubo de uma cachoeira e chamando Copper de “vantagem injusta”.

Snoop Dogg, Paris Hilton e Kim Kardashian já promoveram empresas cripto. Todos eles evitaram esse tipo de críticas.

Na verdade, a propaganda é constrangedora. A pior parte é seu bordão banal de conclusão: “A fortuna favorece os valentes”.

E a propaganda com Damon é a segunda iniciativa de marketing chamativa da Crypto.com. A empresa abriu mão de US$ 700 milhões para colocar seu nome no Staples Center em Los Angeles.

Mas as pessoas que mais criticam a propaganda com Damon já odiavam criptomoedas.

O anúncio confirma o que já acreditam: é um golpe, é uma fraude. Benjamin McKenzie, ator de “The OC” e “Gotham”, se tornou seu representante, criticando, em aparições à CNN, outras celebridades que promoveram cripto.

Fonte: Portal do Bitcoin