SÓ NO CHEIRINHO | Investidores do ‘Faraó dos Bitcoins’ Glaidson Acácio se cadastram para cobrar R$ 4,4 bilhões da GAS Consultoria

155

Aberto há um mês, o cadastro de credores do grupo GAS Consultoria e Tecnologia, de Glaidson Acácio dos Santos, o “Faraó dos Bitcoins”, já recebeu 42.030 inscrições. Somados, os investimentos declarados atingem a cifra de R$ 4,4 bilhões. Responsável pelo cadastro, o advogado Sergio Zveiter, administrador judicial da GAS junto à 5ª Vara Empresarial da Capital, espera que o plano de recuperação do grupo, a ser apresentado até o dia 30, contemple o valor da dívida e garanta o ressarcimento dos credores.

Zveiter protocolou nesta sexta-feira, dia 24, uma petição para informar à juíza Maria da Penha Nobre Mauro, titular da 5ª Vara Empresarial, as informações apuradas até o momento do cadastro de credores. Ele explicou que uma equipe do Escritório Zveiter foi encarregada de conferir os créditos declarados, com base nos documentos apresentados, especialmente os contratos e notas promissórias apresentadas.

O advogado, nomeado pela juíza em ação de tutela antecipada, disse que o processo de recuperação judicial só começará, de fato, depois de a juíza receber o plano da empresa e decidir se dará prosseguimento ao caso. Outra possibilidade é a falência da GAS.

O plano, além de fornecer a lista própria de credores, deve informar também os valores disponibilizados para o ressarcimento dos clientes. Zveiter espera que a defesa de Glaidson apresente recursos para além dos bens apreendidos pela Operação Kriptos, em agosto do ano passado, por ordem da Justiça Federal, e que podem não ser transferidos para a Justiça estadual para o pagamento das dívidas.

Os bens apreendidos — R$ 400 milhões em criptomoedas, imóveis, veículos e joias — se considerados de origem ilícita, serão perdidos para a União.

Preso em agosto do ano passado, na Operação Kriptos, Glaidson foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de liderar uma organização criminosa responsável por um milionário esquema de pirâmide financeira iniciado em Cabo Frio, na Região dos Lagos. Na decisão que nomeou Zveiter como administrador judicial da GAS, a juíza Maria da Penha também determinou a suspensão de todas as ações contra a empresa de Glaidson — à exceção da ação penal.

Fonte: Jornal Extra