VILLAGE DA MORTE |Segurança morto no Village Mall deixou de ir ao aniversário de neto para ganhar R$ 180 por serviço no shopping

'Foi uma covardia. Deram um tiro no rosto dele, que colocou as mãos na frente para se defender', disse uma sobrinha da vítima

69

Rio – O segurança Jorge Luiz Antunes, de 49 anos, que morreu depois de um assalto a uma joalheria no shopping VillageMall, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, deixou de ir ao aniversário do neto de seis anos para trabalhar neste sábado (26).

Desempregado há cinco anos, atuava como freelancer no shopping há cerca de um ano e meio. Pelo plantão, Antunes receberia R$180. Durante a ação dos bandidos no shopping, clientes relataram terem ouvido dezenas de tiros, correria e lojas fechadas.

Pelo menos 12 criminosos armados participaram do roubo. Um casal com filho e uma funcionária foram usados como reféns. Morador de Nova Iguaçu, o segurança morto deixou a esposa, quatro filhos e netos. Neste domingo (26), familiares foram ao Instituto Médico Legal (IML), no Centro, fazerem o reconhecimento do corpo da vítima.

“Foi uma covardia. Deram um tiro no rosto dele, que colocou as mãos na frente para se defender. Ele era o cabeçada família. Minha tia trabalhava como auxiliar de serviços gerais e perdeu o emprego há um mês. Eles iam começar uma obra de reforma na casa deles. O material está comprado e o pedreiro iria lá hoje. O trabalho no shopping era o ganha pão dele”, contou Kênia Cristina Antunes, de 29 anos, sobrinha do segurança.

Segundo Kênia, a família estava indo para a festa de aniversário quando uma prima ligou dizendo que tinha acontecido algo grave com o tio delas. Um segurança do shopping foi até a residência dos familiares de Antunes, falou que tinha tido um assalto no local e que ele tinha sido baleado e morreu.

“Esse homem mandou que a gente fosse para o IML, mas o corpo não estava lá. Em seguida, fomos até o shopping e tudo já tinha sido desfeito e o chão já estava até limpo. Os documentos do meu tio sumiram, falaram que os assaltantes levaram. Um homem e uma mulher policiais militares foram até nós e disseram que prestariam assistência à família, mas até agora ninguém apareceu”.

Flamenguista, Antunes era uma pessoa muito ligada à família. Antes de atuar como segurança, ele trabalhava descarregando caminhões. Os filhos dele são adultos e dois deles também prestam serviços de segurança no shopping.

“Com a morte dele, cada um de nós perdeu um pedaço. A esposa e os filhos deles estão arrasados. Nem tiveram forças para identificar o corpo no IML”.