Search
Close this search box.
Médica é demitida em Caxias depois de recusar internação a mulher, que acabou tendo parto no chão

DESCASO NA MATERNIDADE

Médica é demitida em Caxias depois de recusar internação a mulher, que acabou tendo parto no chão

Grávida deu à luz na recepção após ser liberada: 'Disse tanto e ela não acreditou'

Por Rlagos Noticias

27 de março de 2024

Compartilhar no WhatsApp
Queli deu à luz na recepção da maternidade, em Duque de Caxias — Foto: Reprodução/ TV Globo

DUQUE DE CAXIAS – Em um episódio chocante ocorrido em Santa Cruz da Serra, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, uma grávida foi obrigada a dar à luz no chão da recepção de uma maternidade na última sexta-feira, 22. A mulher, que chegou ao local com tempo suficiente para ser internada, teve seu pedido de internação negado por uma médica plantonista. A Prefeitura de Duque de Caxias informou que a médica responsável pela negativa foi demitida e que será iniciada uma sindicância para investigar o caso.

🔔 O Rlagos Rio agora está no Canal do WhatsApp: Clique aqui para seguir o novo canal do Rlagos Notícias no WhatsApp

Queli Santos Adorno, 35 anos e mãe pela quarta vez, chegou à maternidade às 22h com a intenção de dar à luz ao seu filho mais novo, Azafe. Após ser examinada por uma primeira médica, foi aconselhada a permanecer no hospital devido ao risco iminente de entrar em trabalho de parto. “A primeira médica foi muito atenciosa e recomendou que minha irmã não fosse para casa, pois o parto poderia acontecer rapidamente”, contou Carine Santos Adorno, irmã de Queli, em entrevista ao RJTV da TV Globo.

No entanto, após seis horas e durante uma terceira avaliação, outra médica decidiu que Queli deveria voltar para casa, mesmo após Queli expressar sua recusa, alegando que o parto estava próximo. “A médica tratou minha irmã de maneira grosseira, dizendo que ela não deveria estar ali”, relatou Carine.

Como resultado da recusa em interná-la, Queli acabou dando à luz na recepção da maternidade às 6h, sendo auxiliada pela primeira médica que a atendeu, mas que, naquele momento, não dispunha de luvas ou equipamentos necessários. “Doutora negligente, eu avisei”, lamentou Queli, ainda em estado de choque e com a pressão alta, permanecendo internada.

A família procurou a delegacia para registrar o caso, mas afirma ter encontrado resistência por parte dos policiais. Mesmo diante das dificuldades, contrataram um advogado e prometem buscar justiça. A Polícia Civil informou que está investigando a denúncia sobre a recusa do registro pela delegacia, enfatizando o compromisso com a apuração dos fatos.

A família afirma que a mãe da criança está muito abalada.

“Ela chora o tempo todo, ela fica olhando para o neném chorando, como se lembrasse o que aconteceu. O psicológico dela está muito abalado. Não tem um psicólogo nem para atender ela aqui dentro”, contou Leandro Santos Adoro, irmão de Queli.

Ela continua internada porque está com pressão alta. Os irmãos foram à delegacia, mas disseram que os policiais se recusaram a registrar o caso. Mesmo assim, a família contratou uma advogada. E vai cobrar justiça.

“Nem um animal deveria passar por isso que minha irmã passou. Foi muito desumano. Não foi um parto humano, foi um parto desumano”, destacou Carine.

A Polícia Civil afirmou que está apurando a denúncia sobre a recusa do registro na delegacia.

Mulher dá à luz na recepção da maternidade de Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias — Foto: Reprodução/ TV Globo
Mulher dá à luz na recepção da maternidade de Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias — Foto: Reprodução

📲 Confira as últimas notícias do Rlagos Notícias
📲 Acompanhe o Rlagos no Facebook Instagram , Twitter
 e Threads

Compartilhar no WhatsApp

Por Rlagos Noticias

27 de março de 2024

Search
Close this search box.

Faça parte do maior grupo exclusivo de noticias da região!

Nosso grupo te da acesso exclusivo as noticias mais quentes e recentes do momento sobre tudo que buscar!