Search
Close this search box.
Search
Close this search box.
Ministério Público Federal solicita prisão de 3 policiais da PRF após morte de menina de 3 anos no Rio de Janeiro

Ministério Público Federal solicita prisão de 3 policiais da PRF após morte de menina de 3 anos no Rio de Janeiro

Por Rlagos Notícias

16 de setembro de 2023

Compartilhar no WhatsApp
Criança estava internada há 9 dias e faleceu de parada cardíaca; caso gera comoção e questionamentos sobre procedimentos da PRF.

Rio de Janeiro – O Ministério Público Federal (MPF) enviou um pedido formal à justiça para a prisão de três policiais rodoviários federais supostamente envolvidos na trágica morte de uma criança de 3 anos. O incidente ocorreu no Arco Metropolitano, em Seropédica, no dia 7 de setembro. A pequena H.S.S. estava com sua família, retornando da casa dos avós em Itaguaí, quando o veículo em que estavam foi alvejado.

🔔 O Rlagos Rio agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e para receber as notícias do Grande Rio direto no seu celular!

Os agentes estão afastados das operações desde o início das investigações, sendo submetidos a avaliações psicológicas, conforme informou a PRF. A arma do policial responsável pelos disparos foi confiscada para perícia. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, procurado para comentar o caso, ainda não divulgou quando atenderá à solicitação do MPF.

H.S.S. estava internada desde o dia 8 de setembro e não resistiu a uma parada cardíaca na manhã deste sábado. Ela estava sob cuidados no Hospital Municipalizado Adão Pereira Nunes, onde os médicos identificaram lesões graves no couro cabeludo e na região cervical.

O corpo da criança será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para perícia. A família ainda não divulgou informações sobre o local e horário do sepultamento.

A Polícia Rodoviária Federal, em nota, se solidarizou com a família, expressando “as mais sinceras condolências” e afirmou que continua acompanhando os familiares para fornecer suporte e acolhimento psicológico por meio de sua Comissão de Direitos Humanos.

O procurador Eduardo Benones representou pela prisão dos agentes Fabiano Menacho Ferreira — que admitiu ter feito os disparos —, Matheus Domicioli Soares Viegas Pinheiro e Wesley Santos da Silva. O pedido foi feito na noite desta sexta-feira (15), antes de Heloísa morrer.

Na peça, Benones afirma que 28 agentes da PRF foram até o hospital logo após o incidente “numa tentativa inequívoca de intimidar” a família e lembra que um deles, à paisana, conseguiu chegar até a emergência pediátrica e falar com o pai da menina.

“A presença de 28 inspetores no hospital, no dia do ocorrido, em contato visual e às vezes verbal, com as vítimas demonstra uso indevido da força corporativa”, escreveu Benones na justificativa.

Nova perícia

Em outro ofício, Benones pediu à Justiça uma nova perícia no fuzil apreendido e no carro onde Heloísa estava. A TV Globo apurou que o MPF não concordou com o laudo da Polícia Civil.

“A presente demanda tem como escopo assegurar os vestígios para a produção de prova pericial a subsidiar futura persecução penal. O risco ao resultado útil do processo é evidente caso a presente cautelar não seja deferida, na medida em que não será possível trazer à lume o que de fato ocorreu”, escreveu o procurador.

Dúvidas do MPF:

  • A existência de mais buracos de perfuração, do que o apontado na perícia;
  • O fato de somente um perito assinar o laudo, “quando costumeiramente são 2 profissionais a realizar tal tarefa”;
  • Pertences das vítimas no veículo não foram periciados;
  • “Os fatos ocorreram em um feriado e foram amplamente reportados em mídia nacional, o que apontou para uma necessidade de averiguação rápida”, e “não se realizaram todos os procedimentos de forma protocolar, podendo inclusive gerar futuras nulidades”.
Morre menina baleada por agente da PRF

O que disseram os agentes

No primeiro depoimento dos policiais prestado à Polícia Civil, Fabiano Menacho Ferreira admitiu ter feito os disparos de fuzil que atingiram a menina.

Ele disse que os policiais tiveram a atenção voltada para o veículo Peugeot 207, e que a placa indicava que o carro era roubado.

Eles seguiram atrás do veículo, ligaram o giroflex e acionaram a sirene para que o condutor parasse, mas que, depois de cerca de 10 segundos atrás do veículo, escutaram um som de disparo de arma de fogo e chegaram a se abaixar dentro da viatura.

Fabiano Menacho disse que, então, disparou três vezes com o fuzil na direção do Peugeot porque a situação o fez supor que o disparo que ouviu veio do veículo da família de Heloísa.

Os outros agentes, Matheus Domicioli Soares Viegas Pinheiro e Wesley Santos da Silva, confirmaram a versão do colega.

Desde o primeiro momento, a família disse que o tiro partiu de uma viatura da PRF.

📲 Confira as últimas notícias do Rlagos Notícias
📲 Acompanhe o Rlagos no Facebook , Instagram , Twitter
e Threads

Compartilhar no WhatsApp

Por Rlagos Notícias

16 de setembro de 2023

Search
Close this search box.

Faça parte do maior grupo exclusivo de noticias da região!

Nosso grupo te da acesso exclusivo as noticias mais quentes e recentes do momento sobre tudo que buscar!