Search
Close this search box.
Investidores estrangeiros desconfiam do Brasil por problemas econômicos e gestão de empresas públicas

Economia Brasil

Investidores estrangeiros desconfiam do Brasil por problemas econômicos e gestão de empresas públicas

Investidores estrangeiros mantêm uma visão negativa sobre o Brasil, descrevendo o cenário econômico como "complexo" e "difícil". Fatores como mudanças nas metas fiscais, decisões divididas do Copom, foco do governo em aumentar receitas sem controlar gastos, e a gestão de empresas públicas como Petrobras, Eletrobras e Vale, contribuíram para essa percepção negativa. A alta nos rendimentos dos títulos americanos também diminui a atratividade do Brasil para investimentos estrangeiros, resultando na saída de R$ 3,2 bilhões do mercado de ações brasileiro entre 28 de maio e 5 de junho. Comparado a países como México, Índia e Indonésia, o Brasil é menos preferido pelos investidores devido a esses desafios econômicos e fiscais.

Por Rlagos Notícias

10 de junho de 2024

Compartilhar no WhatsApp
foto: reprodução

A percepção dos investidores estrangeiros sobre o Brasil continua negativa, conforme observado por Alberto Ramos, diretor de pesquisa macroeconômica para América Latina do Goldman Sachs. Em entrevista, Ramos descreveu o atual cenário econômico do país como “complexo” e “difícil”.

“O sentimento em relação ao Brasil deteriorou-se um pouco devido à mudança prematura das metas fiscais, à decisão dividida do Copom, ao governo focado em aumentar a receita sem controle de gastos, e à gestão das empresas públicas como Petrobras, Eletrobras e Vale”, afirmou Ramos.

Atração Reduzida de Investimentos

A alta nos rendimentos dos títulos americanos torna o Brasil menos atrativo para investidores estrangeiros. Na última sexta-feira, os rendimentos dos títulos públicos de 30 anos dos EUA subiram para 4,549%. Dados fortes de emprego indicaram uma economia robusta nos Estados Unidos, resultando na queda da bolsa brasileira e na alta do dólar.

“Esse contexto de ruídos fiscais elevou a cautela dos investidores. Não há, neste momento, grande interesse”, destacou Ramos. Entre 28 de maio e 5 de junho, o mercado de ações brasileiro registrou uma saída de capital estrangeiro de R$ 3,2 bilhões, totalizando uma retração acumulada de R$ 37,5 bilhões no ano.

Comparação com Outros Países

Apesar de vantagens como energia limpa e barata e um ambiente relativamente homogêneo e pacífico, o Brasil não é o destino preferido dos investidores estrangeiros. “O Brasil não está bem posicionado. Se um investidor deixar a China, ele provavelmente irá para a Índia, Indonésia, Tailândia ou México, que é próximo dos Estados Unidos”, comentou Ramos.

Ele também destacou que o México, com seu tratado de livre comércio com os EUA (USMCA, sucessor do NAFTA), e uma base industrial mais sólida, é mais atrativo para os investidores em comparação com o Brasil.

Impacto das Eleições no México

Paradoxalmente, a vitória esmagadora de Claudia Sheinbaum, apoiada pelo atual presidente Andrés Manuel López Obrador (AMLO), no México, provocou reações negativas no mercado financeiro. A bolsa mexicana caiu mais de 10% e o dólar disparou em relação ao peso, refletindo a ampla maioria conquistada pelo partido Morena no Congresso.

Compartilhar no WhatsApp

Por Rlagos Notícias

10 de junho de 2024

Search
Close this search box.

Faça parte do maior grupo exclusivo de noticias da região!

Nosso grupo te da acesso exclusivo as noticias mais quentes e recentes do momento sobre tudo que buscar!