Search
Close this search box.
Professores de universidades e colégios federais recebem proposta de aumento salarial após um mês de greve

Professores de universidades e colégios federais conseguem aumento nos salários

Professores de universidades e colégios federais recebem proposta de aumento salarial após um mês de greve

Após um mês de greve, os professores das universidades e colégios federais receberam uma proposta de aumento salarial do Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI). A proposta oferece reajustes entre 13,3% e 31% até 2026, a serem aplicados a partir de 2025, variando de acordo com a categoria salarial. A última oferta do MGI aos professores do ensino superior foi destacada pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), que conduzirá assembleias para decidir a resposta até o dia 27. Anteriormente, a proposta previa reajuste zero em 2024, 9% em 2025 e 3,5% em 2026, totalizando 21,5% de aumento em quatro anos, somado ao reajuste linear de 9% concedido ao funcionalismo federal em 2023. A Andes também reivindica a recomposição do orçamento das universidades federais e a revogação de normas prejudiciais à carreira docente. O MGI também se reunirá com técnicos administrativos das instituições de ensino superior, que estão em greve desde março, para apresentar uma proposta na terça-feira (21).

Por Rlagos Noticias

16 de maio de 2024

Compartilhar no WhatsApp
foto: reprodução

Após um mês de greve, os professores das universidades e colégios federais receberam uma proposta de aumento salarial por parte do Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI). A proposta oferece um reajuste entre 13,3% e 31% até 2026, com os aumentos a serem aplicados a partir de 2025.

Os índices de reajuste não serão uniformes e variarão de acordo com a categoria. Professores com salários mais altos terão um aumento mínimo de 13,3%, enquanto aqueles com salários mais baixos poderão receber um reajuste máximo de 31%. Segundo o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), esta é a última oferta do MGI aos professores do ensino superior.

Considerando o reajuste linear de 9% concedido ao funcionalismo federal em 2023, o aumento total, informou o MGI, ficará entre 23% e 43% no acumulado de quatro anos. A pasta ressaltou que o governo melhorou a oferta em todos os cenários e que os professores terão aumento acima da inflação estimada em 15% entre 2023 e 2026.

Anteriormente, a proposta previa um reajuste zero em 2024, 9% em 2025 e 3,5% em 2026. Somado ao reajuste linear de 9% concedido ao funcionalismo federal no ano passado, o aumento total chegaria a 21,5% no acumulado de quatro anos.

Com a proposta em mãos, a Andes realizará novas rodadas de assembleias para definir a resposta a ser dada até o próximo dia 27. Os professores esperavam originalmente uma contraproposta à reivindicação de reajuste salarial de 22,71%, com pagamento ainda no segundo semestre deste ano.

Além do aumento salarial, os professores reivindicam a recomposição do orçamento das universidades federais e a revogação de normas que prejudicam a carreira docente, baixadas no governo anterior. Na terça-feira (21), o MGI se reunirá com os técnicos administrativos das instituições de ensino superior, que estão em greve desde o início de março, para apresentar uma proposta.

Compartilhar no WhatsApp

Por Rlagos Noticias

16 de maio de 2024

Search
Close this search box.

Faça parte do maior grupo exclusivo de noticias da região!

Nosso grupo te da acesso exclusivo as noticias mais quentes e recentes do momento sobre tudo que buscar!