Search
Close this search box.
Operação policial prende quadrilha da “Gangue da Hilux” com prejuízo superior a R$: 9 Milhões em Roubos de Carros na Região dos Lagos; Prisões Ocorreram no Espírito Santo.

GANGUE DA HILUX É PRESA

Operação policial prende quadrilha da “Gangue da Hilux” com prejuízo superior a R$: 9 Milhões em Roubos de Carros na Região dos Lagos; Prisões Ocorreram no Espírito Santo.

A captura da quadrilha especializada em furtos de Toyota Hilux pela polícia é o resultado de uma operação complexa, marcada pela integração de esforços entre várias agências de segurança

Por Rlagos Noticias

22 de fevereiro de 2024

Compartilhar no WhatsApp
Ação coordenada em estados diferentes resulta na prisão de criminosos responsáveis por onda de furtos de veículos de luxo - Foto: Reprodução/ Rlagos Notícias

RIO – Uma operação policial meticulosamente planejada culminou na prisão de membros de uma quadrilha especializada no furto de veículos de luxo, especificamente modelos Toyota Hilux, causando um impacto financeiro superior a 9 milhões de reais. Esta operação, resultado de uma colaboração interagências, incluiu esforços da Polícia Civil do Rio de Janeiro, da Agência de Inteligência do 25º Batalhão de Polícia Militar, do Batalhão da Polícia Militar Rodoviária, da Polícia Rodoviária Federal, da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Governador Valadares, e dos Serviços de Inteligência da Polícia Militar do Espírito Santo.

O Portal Rlagos Notícias obteve, com exclusividade, acesso ao relatório da Polícia Federal, desvendando os meandros de uma operação policial que resultou na prisão de membros da chamada Gangue da Hilux.

A investigação, que começou com a recuperação de um veículo em Goiás furtado em Cabo Frio, desvendou uma rede de crimes que se estendia por diversos estados, incluindo a Região dos Lagos, Espírito Santo e a capital fluminense. Os líderes desta organização criminosa, originários de Minas Gerais, haviam efetuado uma série de furtos ao longo de janeiro de 2024, acumulando um lucro estimado em mais de 2 milhões de reais apenas com a venda dos veículos roubados.

O ponto de virada na investigação ocorreu com a identificação de um veículo Toyota Hilux usando uma placa clonada para viajar de Cabo Frio para Goiás. Através de um trabalho integrado de várias agências de segurança pública, baseado na rota identificada, foi possível traçar o percurso dos criminosos e estabelecer uma operação de captura.

Integrantes da quadrilha conversando em um restaurante no Espirito Santo – Foto: Reprodução/ Rlagos Notícias

Na manhã de 21 de fevereiro de 2024, a Força Tarefa foi notificada pela inteligência da PRF sobre a chegada de um dos criminosos em Guarapari-ES, desencadeando um monitoramento que levou à prisão de Teófilo Alves Rodrigues, Edgard de Almeida Silva, Jonathan Pereira Bertolino, André Viana Silva e Francimar Fábio Lisbôa Alves Júnior. Esses indivíduos foram capturados em flagrante delito por furto e associação criminosa, após a recuperação de uma Hilux furtada em Iriri Anchieta-ES e a subsequente perseguição que terminou com a colisão do veículo com um poste.

A investigação revelou um modus operandi altamente especializado, demonstrando que os criminosos possuíam habilidades e ferramentas avançadas para desbloquear rapidamente os veículos e transportá-los para outros estados. A distribuição dos veículos furtados se estendia até Goiânia-GO e Foz do Iguaçu-PR, com suspeitas de que seriam levados para o Paraguai.

Este caso destaca a importância da cooperação interagencial na luta contra o crime organizado e o furto de veículos. As autoridades continuam suas investigações para identificar e prender outros membros da quadrilha, reafirmando o compromisso das forças de segurança em proteger a população e combater o crime transfronteiriço.

A operação que desmantelou a quadrilha especializada no furto de veículos Toyota Hilux revelou a participação e as funções específicas de cada um de seus integrantes. Aqui está a cronologia e descrição das funções de cada membro preso.

Veja quem é quem e qual a função na quadrilha

  • Paulo Cezar da Silva Junior
Paulo Cezar da Silva Junior morto em 2023 – Foto: Reprodução

(falecido antes da operação): Anteriormente preso em setembro de 2023 por furto de veículos Hilux em Minas Gerais, Paulo Cezar atuava como um dos operacionais no furto de veículos, demonstrando a conexão de longa data entre os membros da quadrilha. Sua morte não encerrou as atividades do grupo, que continuou operando até a recente captura.

  • Teofilo Alves Rodrigues
Teofilo Alves Rodrigues – Foto: Reprodução

Mecânico profissional e proprietário da oficina mecânica WT Car Lanternagem e Mecânica, Teofilo tinha papel crucial na logística e na operacionalização dos furtos. Sua oficina, possivelmente, servia como ponto de apoio para as atividades criminosas, incluindo a modificação ou desmanche dos veículos roubados.

  • Edgard de Almeida Silva
Edgard de Almeida Silva – Foto: Reprodução

Também mecânico e dono da oficina Edy Car, Edgard desempenhava função semelhante à de Teofilo, fornecendo suporte operacional e técnico para o furto e o manejo dos veículos. Foi identificado como responsável pelo desbloqueio do alarme de uma Hilux furtada em Iriri Anchieta-ES, indicando sua participação ativa nos furtos.

  • Jonathan Pereira Bertolino
Jonathan Pereira Bertolino – Foto: Reprodução

Embora a função específica de Jonathan na quadrilha não seja detalhada, sua prisão junto aos demais sugere um papel significativo na execução dos furtos ou no suporte logístico da operação criminosa.

  • André Viana Silva
André Viana Silva – Foto: Reprodução

Similar a Jonathan, a participação de André indica envolvimento nas operações diretas de furto ou em atividades de apoio, contribuindo para a eficácia e sucesso dos crimes cometidos pela quadrilha.

  • Francimar Fabio Lisbora Alves Junior
Francimar Fabio Lisbora Alves Junior – Foto: Reprodução

Identificado em apoio a Edgard durante o furto de uma Hilux, Francimar estava diretamente envolvido na execução dos furtos. A captura dele com a camisa usada durante um dos crimes reforça sua participação ativa no grupo.

A quadrilha especializada no furto de veículos Toyota Hilux operava com uma precisão e coordenação que desafiavam as estratégias convencionais de segurança, exibindo um modus operandi altamente especializado na Região dos Lagos. A eficácia dos criminosos não residia apenas na escolha de suas metas — veículos de luxo conhecidos por sua robustez e valor de revenda — mas também na meticulosa preparação e execução de cada furto.

Estratégia e Execução dos Furtos:

  • Seleção de Alvos e Áreas de Atuação: A quadrilha priorizava áreas nobres e bairros conhecidos pela presença de veículos de luxo, como Passagem, Braga e Foguete em Cabo Frio, além da Praia do Campista em Macaé. Esses locais eram escolhidos por sua maior probabilidade de encontrar modelos Toyota Hilux novos e por oferecerem rotas de fuga convenientes.
  • Uso de Tecnologia Avançada: Um elemento chave em sua operação era o uso de dispositivos emuladores de chave, que permitiam desbloquear os veículos rapidamente, sem necessidade de acesso físico às chaves originais. Esses aparelhos, capazes de burlar os sistemas de segurança dos veículos, eram tão eficientes que os criminosos levavam apenas cerca de 13 segundos para desarmar o alarme e dar partida nos carros.
  • Operação Logística Complexa: Além do furto propriamente dito, a quadrilha tinha uma operação logística sofisticada para a movimentação dos veículos furtados. Isso incluía o uso de placas clonadas para evitar a detecção durante o transporte dos veículos para fora do estado, inicialmente para Minas Gerais e posteriormente para outras localidades, como Goiânia-GO e Foz do Iguaçu-PR, onde se suspeita que os carros seriam levados para o Paraguai.
  • Monitoramento e Inteligência: Antes de cada ação, os criminosos realizavam um monitoramento detalhado das áreas alvo, identificando padrões de segurança e selecionando os veículos com base em sua localização e facilidade de acesso. Esse planejamento prévio era essencial para a execução rápida e eficaz dos furtos.
  • Apoio Operacional e Mobilidade: A quadrilha utilizava outros veículos para apoio logístico e operacional, incluindo carros para a locomoção da própria equipe e para o transporte dos veículos furtados. Esses veículos de apoio também eram equipados com placas clonadas, garantindo uma camada adicional de anonimato e dificultando a ação das autoridades.
Integrantes da quadrilha conversando em um restaurante no Espirito Santo – Foto: Reprodução/ Rlagos Notícias

Consequências e Abordagens:

Apesar das dificuldades iniciais em capturar os criminosos em flagrante, a disseminação de informações entre as diferentes agências de segurança pública permitiu a identificação e a prisão dos líderes e membros ativos da quadrilha. A operação destacou a importância da colaboração interagencial e do uso de inteligência e tecnologia avançada no combate ao crime organizado.

As investigações continuam, com o objetivo de desmantelar completamente a rede criminosa e recuperar os veículos furtados, além de identificar possíveis receptadores dos carros no Brasil e no exterior. A captura dos membros da quadrilha não apenas interrompe uma série de crimes na Região dos Lagos mas também serve como um alerta para a necessidade de medidas de segurança mais robustas e adaptativas para proteger veículos de alto valor.

A polícia chegou aos criminosos da quadrilha especializada em furtos de veículos Toyota Hilux através de uma investigação minuciosa que combinou tecnologia, inteligência de dados e cooperação interagencial. O processo começou com a recuperação de um veículo furtado em Goiás, que havia sido originalmente subtraído em Cabo Frio. A identificação de uma placa clonada usada pelos criminosos para transportar o veículo para Goiás foi crucial, permitindo às autoridades mapear a rota utilizada e integrar esforços com diversas agências de segurança pública.

câmeras evidenciam modus operandi com alto gral de especialização – Foto: Reprodução

Etapas Chave da Investigação e Captura:

  1. Integração de Dados: Informações sobre os furtos e as rotas dos veículos foram compartilhadas entre diferentes forças de segurança, incluindo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Civil, e unidades de inteligência de vários estados.
  2. Monitoramento e Inteligência: Utilizando os dados recolhidos, as autoridades realizaram um trabalho preventivo de monitoramento, focando nas áreas onde a quadrilha atuava, principalmente na Região dos Lagos e posteriormente no Espírito Santo.
  3. Identificação dos Suspeitos: A investigação se aprofundou no histórico de Paulo Cezar da Silva Junior, um dos integrantes já falecido, revelando conexões com outros membros da quadrilha. Veículos usados pelos criminosos para locomoção e operações de furto foram identificados, permitindo a localização de seus usuários.
  4. Alerta da PRF e Ação Coordenada: Um alerta da PRF sobre a chegada de um dos veículos suspeitos em Guarapari-ES iniciou uma operação coordenada. A inteligência do 10º BPM de Guarapari foi notificada, levando à mobilização de diversas agências.
  5. Captura dos Criminosos: A operação resultou na prisão de Teofilo Alves Rodrigues, Edgard de Almeida Silva, Jonathan Pereira Bertolino, André Viana Silva, e Francimar Fabio Lisbora Alves Junior, todos integrantes da quadrilha, responsáveis por diversas funções dentro do grupo, desde o desbloqueio dos alarmes até o apoio logístico.
  6. Uso de Tecnologia Especializada: A quadrilha utilizava dispositivos avançados para emular as chaves dos veículos, permitindo um acesso rápido e eficaz aos carros furtados. Câmeras de segurança registraram a agilidade dos criminosos, demorando apenas segundos para desarmar o alarme e dar partida nos veículos.
  7. Logística de Movimentação dos Veículos Furtados: Após o furto, os veículos eram levados para locais provisórios onde as placas originais eram substituídas por placas clonadas, facilitando o transporte inter-estadual e preparando-os para venda ou transferência para outros estados e potencialmente para o Paraguai.

Todos os presos foram levados para a sede da policia federalm.

Compartilhar no WhatsApp

Por Rlagos Noticias

22 de fevereiro de 2024

Search
Close this search box.

Faça parte do maior grupo exclusivo de noticias da região!

Nosso grupo te da acesso exclusivo as noticias mais quentes e recentes do momento sobre tudo que buscar!