Search
Close this search box.
PF apreende carros de luxo em operação contra desvio de dinheiro público na saúde de Maricá; secretária foi afastada

Operação Salus da Polícia Federal

PF apreende carros de luxo em operação contra desvio de dinheiro público na saúde de Maricá; secretária foi afastada

Investigados responderão por crimes de organização criminosa, peculato, desvio e lavagem de dinheiro

Por Rlagos Noticias

27 de fevereiro de 2024

Compartilhar no WhatsApp
PF cumpre mandado em condomínio de luxo na Barra da Tijuca — Foto: Reprodução

A Operação Salus da Polícia Federal, deflagrada nesta terça-feira, cumpre 14 mandados de busca e apreensão. Os alvos estariam envolvidos em desvios de recursos públicos na Secretaria de Saúde de Maricá, na Região dos Lagos. Os valores eram oriundos do Piso de Atenção Básica, usados na rede de atenção primária à família, em contrato com a organização social Instituto Gnosis. Na ação, foram apreendidos seis carros de luxo, entre eles um Porsche Macan.

Os alvos foram servidores públicos — a secretária municipal de Saúde, Solange Regina de Oliveira; a diretora do Hospital municipal Ernesto Che Guevara, Simone da Costa, ex-secretária de Saúde; assim como os presidentes das comissões de Acompanhamento e Fiscalização de Contratos, Carlos Augusto Anacleto, e de Avaliação de Desempenho, Marcelo Costa Velho — afastados de seus cargos. Os outros alvos foram sócios do Instituto Gnosis. Dos alvos da operação, apenas um não foi cumprido, que seria na sede da OS: o mandado engloba um antigo endereço da OS, que hoje tem sede na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

Os crimes investigados são de peculato, desvio, falsidade ideológica, corrupção passiva e lavagem de capitais, segundo o delegado Adriano Spindola, responsável pela investigação.

— Ausência de fiscalização por quem deveria ter os feito, ausência de transparência inclusive do órgão municipal, e elevados valores. Os vultosos valores são compatíveis a grandes obras de engenharia. Juntando essas situações, é um campo fértil para o desvio de recursos públicos — explicou Spindola, em entrevista concedida na delegacia da Polícia Federal de Niterói.

Em nota, a PF afirma que, “considerando o volume de dinheiro público envolvido, a ausência de transparência durante a execução do contrato de gestão e a comprovada fragilidade dos mecanismos de controle sobre a atividade pública, as medidas buscam otimizar a obtenção de provas e interromper a atuação de possíveis integrantes de organização criminosa, composta por servidores públicos, empresários, operadores financeiros e interpostas pessoas”.

A operação foi batizada de Salus, a deusa da saúde, da limpeza e da sanidade na versão romana da mitologia grega. Salus era associada à prevenção das doenças e à continuação de uma vida saudável.

Essa investigação partiu de um relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que identificou indícios de irregularidade. Entre eles estaria a contratação de médicos de família em um número maior do que a necessidade do município, assim como a apresentação de um estudo de viabilidade, apresentado pela OS para a assinatura do contrato com a prefeitura de Maricá, usado em um contrato de 2015 com o município do Rio.

— O tribunal identificou 10 situações de discrepância. Por exemplo, o pagamento de taxa de rateio e administração, que é algo ilegal; utilização de diversas contas bancárias; o pagamento de verbas trabalhistas para quem trabalhou numa época em que a OS nem tinha contrato com a prefeitura. E isso atrai a atenção não só por improbidade, mas também pela esfera penal — detalhou o delegado Adriano Spindola.

Perguntado se a PF busca outros contratos da organização social com prefeituras, o delegado afirmou que isso “está sob sigilo”.

Inicialmente, o contrato, válido entre fevereiro de 2020 e fevereiro de 2024, era de R$ 230 milhões, e chegou a mais de R$ 600 milhões por meio de aditivos. Segundo o TCE, o prejuízo aos cofres públicos é de R$ 71 milhões.

Em nota, a prefeitura de Maricá informa ter “total interesse em colaborar para o esclarecimento de quaisquer denúncias que envolvam a gestão”, destacando que a aplicação correta dos recursos públicos é “um princípio” da administração do município. “A determinação de afastamento dos servidores será cumprida e todos os novos pedidos de informações feitos pelos órgãos de controle serão atendidos”, completa a nota.

Carros de luxo apreendidos

Em balanço divulgado no fim da manhã, a PF informa ter apreendido 6 veículos de luxo, na casa de empresários, assim como R$ 68 mil, sendo 50 mil na casa de um empresário, e 18 mil com a ex-secretária de Saúde.

Os carros, estacionados no pátio da PF em Niterói, apreendidos como um possível indício de lavagem de capitais, são:

  • 1 Range Rover Velar
  • ⁠1 Porsche Macan
  • ⁠1 Jeep Comander
  • ⁠1 Mitsubishi Eclipse Cross
  • ⁠2 Toyota Corolla
Compartilhar no WhatsApp

Por Rlagos Noticias

27 de fevereiro de 2024

Search
Close this search box.

Faça parte do maior grupo exclusivo de noticias da região!

Nosso grupo te da acesso exclusivo as noticias mais quentes e recentes do momento sobre tudo que buscar!