Search
Close this search box.
Search
Close this search box.
Prefeitura de Silva Jardim exonera suposta médica após descoberta de fraude; ela atuou durante a pandemia, tratando pacientes de Covid-19 com CRM falso

Prefeitura de Silva Jardim exonera suposta médica após descoberta de fraude; ela atuou durante a pandemia, tratando pacientes de Covid-19 com CRM falso

Por Rlagos Notícias

2 de julho de 2023

Compartilhar no WhatsApp
A quadrilha também criou emails falsos em nome das universidades para enganar o Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro. Vários dos falsos médicos admitiram em depoimentos à Polícia Federal

Em uma ação alarmante que abalou a cidade de Silva Jardim, no Rio de Janeiro, um dos integrantes de uma quadrilha especializada na falsificação de documentos médicos, Bruna da Silva Perez, foi identificada atuando como médica entre julho de 2021 e fevereiro de 2022. Durante esse período, Perez prestou atendimento no Polo Gripal, atendendo a pacientes com Covid-19. Ela foi exonerada pela Secretaria de Saúde da Prefeitura após a descoberta da fraude. Perez confessou não ter concluído o curso de medicina e ter pagado R$250.000,00 por documentos que lhe permitiram exercer a medicina ilegalmente, alegando não saber que estava cometendo um crime.

Essa revelação ocorreu como parte de uma investigação da Polícia Federal, que descobriu uma quadrilha que falsificava documentos de faculdades de medicina para obter registros e vendê-los para falsos médicos. Conforme exposto no programa Fantástico, do dia 2, pelo menos 65 registros foram obtidos junto ao Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro usando documentos falsos.

De acordo com o delegado da Polícia Federal, Francisco Guarani, a investigação revelou uma verdadeira estrutura empresarial por trás da venda de diplomas falsos e históricos escolares fraudulentos. Os criminosos criaram documentos extremamente semelhantes aos originais, usando papéis de alta qualidade e reproduzindo o logotipo de universidades, com a UNEB – Universidade do Estado da Bahia sendo a mais comumente falsificada.

Bruna da Silva Perez, foi identificada atuando como médica entre julho de 2021 e fevereiro de 2022. Durante esse período, Perez prestou atendimento no Polo Gripal, atendendo a pacientes com Covid-19.

A quadrilha também criou emails falsos em nome das universidades para enganar o Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro. Vários dos falsos médicos admitiram em depoimentos à Polícia Federal terem pago quantias significativas pelo esquema, recebendo toda a documentação necessária para se passarem por médicos formados.

Em junho, a Polícia Federal cumpriu quatro mandados de prisão e deteve três pessoas: Valdelírio Barroso Lima, Reinaldo Santos Ramos e Francisco Gomes Inocêncio Junior, que é um médico legítimo. A suposta chefe da quadrilha, Ana Maria Monteiro Neta, permanece foragida.

O Conselho Federal de Medicina agora está buscando criar protocolos de verificação em todo o país.

Em resposta às revelações, a UNEB e o CREMERJ (Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro) esclareceram que todos os documentos fraudulentos não foram emitidos ou assinados pela universidade e são completamente ilegítimos. O CREMERJ, que iniciou uma investigação após uma funcionária suspeitar de alguns documentos, mudou o processo de verificação e anulou todos os sessenta e cinco registros obtidos com documentação falsa.

O Conselho Federal de Medicina agora está buscando criar protocolos de verificação em todo o país. De acordo com seu presidente, José Hiran Gallo, uma equipe está visitando conselhos regionais para coletar dados e entender as fragilidades do sistema, com o objetivo de corrigir falhas e prevenir tais fraudes no futuro.

Compartilhar no WhatsApp

Por Rlagos Notícias

2 de julho de 2023

Search
Close this search box.

Faça parte do maior grupo exclusivo de noticias da região!

Nosso grupo te da acesso exclusivo as noticias mais quentes e recentes do momento sobre tudo que buscar!